PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Real Madrid volta às quartas e é o time mais imprevisível da Champions

Karim Benzema comemora seu gol pelo Real Madrid contra a Atalanta pela Liga dos Campeões - Diego Souto/Quality Sport Images/Getty Images
Karim Benzema comemora seu gol pelo Real Madrid contra a Atalanta pela Liga dos Campeões Imagem: Diego Souto/Quality Sport Images/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

16/03/2021 18h55

O Real Madrid ganhou da Atalanta por 3 a 1, confirmou a vitória da partida de ida (1 a 0) e garantiu o retorno às quartas de final da Liga dos Campeões da Europa, após duas eliminações seguidas nas oitavas.

O jogo foi bem menos fácil do que o placar sugere. A Atalanta, ousada e corajosa, foi muito superior ao Real Madrid nos primeiros 20 minutos de partida. Sem Casemiro, o Real ficou sem intensidade no meio de campo e o time italiano dominou o setor.

Mas o goleiro Sportiello cometeu um erro fundamental. Tentou sair jogando com um lançamento curto, que acabou se transformando em um chutão mal dado. Modric recuperou, avançou e tocou para Benzema abrir o placar. É o risco que se corre na tentativa de não rifar a bola.

A partir daí, o Real cresceu e a Atalanta parecia ter sucumbido ao que considerava sua única chance de passar - vencer por 1 a 0. Pouco a pouco, a partir da metade do segundo tempo e com as mudanças do técnico Gasperini, que deixaram a Atalanta mais agressiva (e mais exposta), o jogo foi melhorando.

Com este cenário, Vinícius Jr finalmente apareceu. Passou a se apresentar mais e receber bolas nas condições ideais para ele. Em um contra ataque, partiu do campo de defesa, fez fila e só não marcou um golaço porque a finalização saiu por pouco. No segundo contra ataque, sofreu pênalti. O brasileiro segue evoluindo, está melhorando na tomada de decisões, mas claramente tem um déficit técnico na finalização. Sergio Ramos converteu e "matou" a eliminatória.

A Atalanta ainda exigiu ótimas defesas de Courtois antes de fazer seu gol de honra, em uma cobrança de falta de Muriel. Mas, ato seguido, Asensio deu números finais ao jogo.

O que esperar do Real Madrid no restante da Champions? Pode acontecer de tudo. O Real, no momento, é o time mais difícil de prever na Europa. Vive em uma tremenda montanha russa e já se mostrou capaz de fazer jogos grandes, como os que fez contra o Atlético de Madrid no Espanhol, e também de perder de um Shakhtar da vida ou ser eliminado por um Alcoyano, da terceira divisão, na Copa do Rei.

Vai que o Real Madrid cai no sorteio contra o Porto ou o Borussia Dortmund. Será o favorito. E poderá até perder. Ou então vai que acaba emparelhado com um Manchester City (que se classificou hoje) ou um Bayern (que vai carimbar a vaga amanhã). Neste caso, o favorito será o outro. Mas ele poderá passar. Quem ousará duvidar do time de Zidane?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL