PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Levante põe fogo na Liga e derruba moral do Atlético de Madrid

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

20/02/2021 14h18

Em uma semana, um Levante derrubou o Atlético de Madrid. Não me refiro a uma revolta dos jogadores nem nada do tipo. É o Levante clube mesmo, o pequenino time de Valência. Que neste sábado venceu o Atlético por 2 a 0, em Madri.

Isso três dias depois de ter empatado com o mesmo Atlético no meio de semana, em jogo que havia sido adiado das rodadas iniciais do campeonato. Curiosamente, Levante e Atlético ficaram frente a frente em partidas consecutivas e o que muitos consideravam que seriam seis pontos fáceis para o time de Simeone acabaram sendo quatro - só que para o Levante.

O goleiro Aitor, no jogo de Valência, e o outro goleiro, Cárdenas, hoje, em Madri, foram os melhores em campo. Defenderam até pensamento.

O Atlético defendia uma invencibilidade de 11 partidas, desde a derrota para o Real Madrid. Em casa, eram 27 jogos de invencibilidade por todas as competições, mais de ano sem derrota. O Levante não vencia o Atlético havia quase cinco anos.

Os resultados colocam fogo na Liga, já que a vantagem confortável do Atlético de Madrid vai diminuindo. Neste momento, o time de Simeone tem os mesmos seis pontos a mais que o Real Madrid, mas agora já com o mesmo número de partidas. São nove pontos para o Barcelona, que tem uma partida a menos.

Real e Barça ainda jogam neste fim de semana, contra Valladolid e Cádiz, respectivamente. Se vencerem, colocar um calor e tanto para cima do líder.

E um detalhe: os tropeços contra o Levante chegam na hora "quente" da temporada para o Atlético. Na terça, tem confronto de Liga dos Campeões da Europa contra o Chelsea, que será disputado em Bucareste (Romênia). Ou seja, uma partida em campo neutro e justo quando o Chelsea embala - desde a chegada do treinador Tuchel, são cinco vitórias e dois empates, com apenas dois gols sofridos nas sete partidas.

Depois disso, o Atlético viaja para enfrentar o perigoso Villarreal e, no dia 7 de março, tem dérbi contra o Real Madrid. Ou seja, não era exatamente a hora ideal para perder gás na temporada.

O Atlético não jogou mal contra o Levante. Como já disse, os goleiros pegaram até pensamento. Mas Luisito Suárez já não marca há três partidas e fica claro que, quando o homem gol falha, o gol não sai - um filme que já vimos em outras temporadas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL