PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

De Messi e CR7 a Mbappé e Haaland: Transição fica cristalizada na Champions

Lionel Messi e Kylian Mbappé em ação durante Barcelona x PSG pela Liga dos Campeões 2020-21 - REUTERS/Albert Gea
Lionel Messi e Kylian Mbappé em ação durante Barcelona x PSG pela Liga dos Campeões 2020-21 Imagem: REUTERS/Albert Gea
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

18/02/2021 04h00

Mbappé, 22 anos. Haaland, 20. Os dois grandes nomes do meio de semana na Liga dos Campeões da Europa são mais do que uma garantia para os times deles. São uma garantia para todos nós. A garantia de que não haverá um vácuo em nossas noites tardes/noites mágicas de Champions quando os dois maiores pararem.

E eles estão parando. Foram quase 15 anos de Messi e Cristiano, Cristiano e Messi, Messi e Cristiano, Cristiano e Messi. Não enjoou. Foi um deleite e tanto, nunca houve uma disputa assim na história do futebol. Em que lugar da história eles estarão quando essa saga parar de ser escrita? Só saberemos mais para frente. Certamente lá no alto, entre os maiores dos maiores.

Eles não estão acabados, nada disso. Mas é difícil imaginá-los ganhando uma Champions novamente em 2021. Vai precisar haver um alinhamento de estrelas para que isso aconteça.

O Barça, de Messi, já era depois dos 4 a 1 que levou do PSG. Se Messi decidir ficar no clube, não parece haver um futuro brilhante. Se sair, pode ir para o PSG ou para o Manchester City - as chances seriam maiores. Ele ganhou uma Champions em dez anos. Pouco, convenhamos, para um jogador que é tido por alguns como melhor de todos os tempos.

A Juventus ainda sobreviveu em Portugal ao encontrar um golzinho no segundo tempo, perdeu por 2 a 1 para o Porto e está viva. Cristiano Ronaldo sofreu um pênalti nos acréscimos, não marcado pelo árbitro. Fora isso, pouco ou quase nada conseguiu fazer em um péssimo jogo da Juve. É um time instável, que tampouco parece ter o fôlego e a consistência para triunfar contra os melhores.

Enquanto isso, os dois garotos voam. Mbappé fez três para o PSG, Haaland meteu dois na surpreendente vitória do Borussia Dortmund em Sevilha.

O "cometa" Haaland tem agora 18 gols em 13 partidas de Champions na carreira, um fenômeno. Se fizer mais um antes do meio do ano, igualará Mbappé como o cara que mais gols marcou antes de completar 21 anos.

O Mbappé já não é novidade, é um cara campeão do mundo e disputado pelos gigantes europeus. Haaland, para quem acompanha, tampouco é novidade. Mas a semana é emblemática para notarmos como está cristalizada a transição. A fotografia é claríssima. Messi e CR7 estão passando o bastão para frente, e estes dois estão prontinhos para pegá-lo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL