PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

Há 15 anos: Ronaldinho ganhava aplausos, mas a história em Madrid era Messi

Ronaldinho Gaúcho ao lado de Lionel Messi na época de Barcelona - GettyImages
Ronaldinho Gaúcho ao lado de Lionel Messi na época de Barcelona Imagem: GettyImages
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

20/11/2020 03h55

O superclássico entre Real Madrid e Barcelona daquele 19 de novembro de 2005 entraria para a história como o "clássico dos aplausos a Ronaldinho Gaúcho". Mas, se olharmos para o contexto geral do próprio esporte nestes últimos 15 anos, teve um evento muito mais importante acontecendo naquele mesmo campo, naquele mesmo dia. Foi a primeira vez de um certo Lionel Messi.

Foi o jogo número um de Messi contra o Real Madrid, em uma escalação para lá de surpreendente do então técnico do Barça, o holandês Frank Rijkaard. O argentino tinha 18 anos e somente três jogos como titular na carreira - o primeiro deles na Liga espanhola havia sido um mês antes, contra o Osasuna. A partir daquele clássico no Bernabéu, Messi virou titular fixo no lugar do francês Giuly para fazer companhia a Ronaldinho e Eto'o no ataque.

Abaixo, no vídeo, assista à reportagem que fiz para a Band na cobertura daquela partida.

Muitos vão se lembrar que, na reta final daquela temporada 05/06, Messi não apareceu nos jogos decisivos do Barcelona - que conquistaria o título da Champions League pela segunda vez em sua história. Mas isso ocorreu porque Messi se lesionou em fevereiro e perdeu o resto da temporada.

O Barcelona era o time de Ronaldinho, foram dele dois golaços naquele clássico e para ele os aplausos da torcida do Real Madrid - um misto de admiração mesmo com ironia pela fase ridícula daquele time galáctico do Madrid. Mas, Ronaldinho à parte, podemos dizer que a "era Messi" começou oficialmente naquele jogo.

O garoto fez um Carnaval pelo lado direito do campo e logo com 17min criou a jogada que acabou no gol de Eto'o. Foi a primeira assistência dada por Messi na liga espanhola. Hoje, 15 anos depois, Messi soma 14 assistências e 26 gols marcados em 44 clássicos contra o Real (19 vitórias).

O jogo marcou também o início do fim da era Vanderlei Luxemburgo no Real Madrid. O técnico brasileiro seria demitido três jogos e 15 dias depois, antes de completar um ano no comando técnico do clube. Muitos falam (inclusive ele mesmo) que Luxa foi demitido por substituir Ronaldo por um volante em uma vitória por 1 a 0 sobre o Getafe, o jogo da dispensa. Mas a coisa começou a azedar de verdade na derrota humilhante do Bernabéu.

Aliás, tenho uma história pessoal que faz com que eu não me esqueça nunca deste jogo. Na época, eu era correspondente da TV Bandeirantes em Madrid, cobria diariamente o Real, Luxemburgo e aquele monte de brasileiros que jogavam lá. Mas eu era novo no pedaço e fiquei sem acesso para a partida, devido ao enorme número de jornalistas credenciados. Algumas horas antes do pontapé inicial, o "pofexô" me ligou e disse: "Julinho, deixei dois ingressos em um envelope no portão X (acho que era o 55) do estádio. Para você e para tua esposa, presente de casamento para vocês". De fato, nós nos casaríamos dias depois e ele sabia disso.

Minha relação profissional com Luxemburgo foi um pouco conturbada no início lá em Madrid, mas depois se acertou e, quando já havia um contato maior, ele acabou sendo defenestrado por Florentino Pérez.

No fim, assisti a meu primeiro clássico na arquibancada e vi, no meio da torcida madridista, os históricos aplausos a Ronaldinho. Depois, dei um jeito de entrar na zona mista e fazer meu trabalho, entrevistando os protagonistas do Barcelona (Ronaldinho, Edmilson e Sylvinho). A turma do Real Madrid já havia se mandado quando eu consegui entrar.

Se pudéssemos prever o futuro, o melhor a fazer naquele pós-jogo seria entrevistar o tal do Messi e pedir uma recordação! Lá se vão 15 anos.

FICHA TÉCNICA:

Data: 19/11/2005
Local: Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid (Espanha)
Árbitro: Iturralde González
Público: 80 mil espectadores

REAL MADRID
Casillas; Míchel Salgado, Sergio Ramos, Helguera e Roberto Carlos; Pablo García (Júlio Baptista), Beckham; Robinho, Raúl (Guti) e Zidane; Ronaldo. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

BARCELONA
Valdés; Oleguer, Puyol, Rafa Márquez e Van Bronckhorst; Edmílson, Xavi e Deco; Messi (Iniesta), Eto'o e Ronaldinho. Técnico: Frank Rijkaard.

GOLS: Eto'o, aos 15min do primeiro tempo, e Ronaldinho, aos 15min e aos 32min do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS: Míchel Salgado, Robinho, Pablo García, Deco e Ronaldinho.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL