PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

Everton x Liverpool: empate afirma um e aumenta dúvidas sobre o outro

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

17/10/2020 10h34

O dérbi de Merseyside, entre Everton e Liverpool, foi um colírio para os olhos que gostam de futebol intenso e bem jogado. Bem, já estamos acostumados a ver partidas assim na Premier League inglesa, mas é sempre bom ressaltar. No fim, o empate por 2 a 2 acabou sendo um resultado justo.

O Liverpool foi melhor no primeiro tempo, mas as dúvidas que o time deixou após levar 7 do Aston Villa antes da data Fifa continuam. Ou melhor, se ampliam. Se já não tinha Alisson, que ficará fora por mais algumas semanas, agora o Liverpool perdeu Van Dijk, machucado, logo no comecinho da partida.

Sem Alisson e Van Dijk, a história é completamente outra. O Liverpool torna-se um time vulnerável defensivamente e que vai deixar muitos pontos pelo caminho em um campeonato tão competitivo.

A boa notícia é o retorno de Thiago no meio de campo, um jogador de toque refinado, de muita qualidade. Mas, como o pepino para o Liverpool será no setor defensivo (levou dois gols de cabeça hoje), tem que ver se Klopp irá sustentar a titularidade de Thiago no meio. Com ele, o time passa a jogar com mais posse, só que perde força na defesa.

Se o Liverpool deixou o dérbi com interrogações, o Everton sai com afirmações. Após quatro vitórias nos quatro primeiros jogos, o time de Ancelotti mostrou que tem bola para enfrentar os melhores do país. Disputar título? Acho cedo e possivelmente não tenha elenco para isso. Mas as sensações são boas.

O Everton começou a partida levando um gol de cara, mas não se abateu. Buscou o empate, equilibrou o jogo e, no segundo tempo, foi superior. Acertou bola na trave, ficou perto da virada e levou a ducha de água fria quando Mina errou dentro da área e deu o 2 a 1 de presente para Salah.

Mas não se abateu e foi de novo buscar o empate, num cabeceio lindo de Calvert-Lewin, um jogador das seleções de base da Inglaterra e que parece que vai explodir nesta temporada, agora com 23 anos. Já são 7 gols em 5 jogos e a artilharia da Premier para ele.

A nota ruim para o Everton foi a expulsão boba de Richarlison aos 44min do segundo tempo, após uma entrada dura e estúpida em Thiago. Richarlison havia feito uma partida espetacular, participando em todas as fases do jogo, com muita intensidade defensiva e presença no ataque. Ele é fundamental para o time e agora será desfalque, talvez Bernard apareça na temporada.

Com um a mais, o Liverpool apertou e chegou ao que seria o gol da vitória, mas o VAR enxergou impedimento milimétrico de Mané na jogada. Se estava ou não impedido, não sei. Pelo menos não perderam os 5 minutos para decidir isso, que é o que fazem aqui no Brasil.

Mas o 2 a 2 acabou sendo o placar mais justo pelo que fizeram os dois times.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL