PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

Liga das Nações chega às rodadas finais com 'grandonas' contra a parede

Itália e Holanda se enfrentam pela Liga das Nações - Marco Bertorello/AFP
Itália e Holanda se enfrentam pela Liga das Nações Imagem: Marco Bertorello/AFP
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

14/10/2020 19h05

Mais duas rodadas disputadas, agora faltam só duas, que serão disputadas em novembro. A Liga das Nações da Uefa vai se aproximando da definição das quatro seleções que irão disputar o título, em 2021. Algumas das seleções "grandonas" do continente, como França, Alemanha, Inglaterra e Itália não chegam a estar em situação delicada, mas terão de vencer jogos grandes, quase todos fora de casa, se quiserem estar nas finais. Nenhuma delas tem margem de erro.

Polônia, Bélgica, Portugal e Espanha estão no comando dos quatro grupos da "elite" e, neste momento, têm maior chance de classificação.

A renovada seleção da Itália, que empatou três dos quatro jogos, receberá a Polônia precisando vencer para ficar no comando. A Holanda ainda corre por fora no grupo delas.

A França, campeã do mundo, fará uma viagem a Portugal também precisando de vitória ou de um empate com gols. A Alemanha, outra que empatou três de quatro partidas, possivelmente só avançará se ganhar o confronto direto contra a Espanha, também fora de casa. E a Inglaterra, que parecia estar bem encaminhada, tropeçou e agora terá de repetir vitória contra a Bélgica, como fez no domingo passado - só que fora.

Os duelos diretos ficam todos para novembro. Saiba abaixo a situação dos quatro grupos da divisão de elite da Nations League.

GRUPO 1

Quem se deu bem na rodada dupla de outubro foi a Polônia, que ganhou fácil da Bósnia nesta quarta (dois de Lewandowski) e viu os outros jogos todos acabarem empatados.

A Polônia lidera com 7 pontos, a Itália tem 6, a Holanda tem 5 e a Bósnia tem 2. Em novembro, Holanda e Itália, que tropeçaram contra a Bósnia no turno, têm a obrigação de ganhar no returno. E a Polônia defende a liderança nos dois jogos diretos: primeiro vai à Itália, depois recebe a Holanda.

Das três primeiras, todas dependem apenas de si para entrar: duas vitórias bastam. Polônia e Itália podem, talvez, passar com quatro pontos nos últimos dois jogos. Por isso o duelo direto entre elas, marcado para 14 de novembro, em Regio Emilia, deve ser o decisivo no grupo. Quem ganhar, ficará muito perto das finais.

GRUPO 2

A Inglaterra sofreu uma derrota surpreendente para a Dinamarca, com expulsão no primeiro tempo e pênalti bem esquisito convertido por Eriksen. A Bélgica fez a obrigação, ganhou da Islândia (dois de Lukaku) e lidera o grupo com 9 pontos. Ingleses e dinamarqueses têm 7, e a Islândia, que perdeu todas, já está condenada à "segunda divisão" da próxima Liga das Nações.

Em novembro, Dinamarca e Inglaterra jogarão em casa com a Islândia, então podemos imaginar que ambas chegarão a 10 pontos. E aí tudo será decidido em dois jogos na Bélgica. Primeiro, a seleção belga recebe os ingleses e, depois, os dinamarqueses. Ou seja, o tropeço de hoje basicamente significa que a Inglaterra terá de vencer de novo a Bélgica, só que agora fora de casa, para ter chances reais de ir às finais.

A vaga ficou nas mãos dos belgas, que possivelmente entrem até mesmo com dois empates em casa contra seus rivais diretos.

GRUPO 3

Portugal passou fácil pela Suécia (dois gols de Diogo Jota, "herdeiro" de Cristiano Ronaldo) e a França sofreu para vencer a Croácia, na reedição da última final de Copa. As líderes têm 10 pontos, enquanto Croácia (3) e Suécia (0) decidem apenas quem fica na primeira divisão e quem cai.

Portugal e França se enfrentam na próxima rodada, no dia 14 de novembro, em solo português - já está sendo permitida a presença de torcedores em número limitado, como vimos nesta quarta, em Lisboa. A seleção que vencer a partida estará classificada para a fase final. Temos de lembrar que, na Uefa, o primeiro critério de desempate é o confronto direto - o primeiro jogo entre elas teve empate sem gols, em Paris.

Se houver empate sem gols de novo, Portugal ficará na frente e com o controle por ter melhor saldo geral (8 a 4). Se houver empate com gols, no entanto, a França é quem levará a vantagem no confronto direto (pelo gol fora de casa) e dependerá somente de si na última rodada - que também será jogada em novembro, com Croácia x Portugal e França x Suécia.

GRUPO 4

Aqui a gigante contra as cordas é a Alemanha, que tem 6 pontos e está atrás da Espanha, que tem 7, e junto com a Ucrânia - que na semana passada levou uma sova da França em amistoso, depois perdeu da Alemanha em jogo apertado e, quarta, surpreendeu arrumando uma vitória contra os espanhóis (isso tudo no meio de um surto de Covid que atingiu vários atletas).

A próxima rodada tem Suíça x Espanha e Alemanha x Ucrânia. E a última rodada tem o confronto direto entre Espanha e Alemanha, que deve decidir a vaga nas finais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL