PUBLICIDADE
Topo

Bayern e Benfica abrem ligas com massacres e incômodo desnível

Everton Cebolinha comemora gol do Benfica contra o Famalicão - Jose Manuel Alvarez/Quality Sport Images/Getty Images
Everton Cebolinha comemora gol do Benfica contra o Famalicão Imagem: Jose Manuel Alvarez/Quality Sport Images/Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

18/09/2020 17h21

Começou o Campeonato Alemão. E vejam que surpresa! O Bayern de Munique ganhou de 8 a 0. Começou o Campeonato Português. E vejam que surpresa! O Benfica ganhou por 5 a 1.

São goleadas que já nos fazem lembrar, logo de cara, do incômodo desnível que, cada vez mais, marca as diversas ligas domésticas europeias. Pode parecer que não, mas silenciosamente o desequilíbrio vai pavimentando o caminho para a criação de uma Superliga do continente. Os "estaduais" deles vão inevitavelmente ver fuga de interesse se tudo seguir assim.

O Bayern é um clube inacreditável em uma liga incrível. Muitos diminuem a qualidade da Bundesliga justamente por causa... do próprio Bayern! O melhor produto deprecia o produto global, por mais paradoxal que isso possa ser. Estamos falando de um campeonato financeiramente responsável, com estádios lotados (quando for possível), ótimos jogadores, alto nível, intensidade.

Mas, se um time ganha tudo, estamos falando da ausência de algo importante demais: a competitividade. Era um clássico na primeira rodada. E, se eu estivesse em campo, com barriguinha e tudo, era capaz de ter metido algum gol. O Bayern perde Thiago, perde Perisic, mas contrata Sané. E segue a vida. 8 a 0 no Schalke 04, coitado. O campeão europeu começa a temporada exatamente como acabou a anterior, um mês atrás.

Em Portugal, o Benfica abriu o campeonato contra um time, o Famalicão, que é visto como um dos melhores pequenos. O time da capital vinha de uma longa viagem da Grécia e de uma eliminação desastrosa na fase prévia da Liga dos Campeões da Europa. Jogo difícil, certo?

Sim, muito difícil. 5 a 1. Éverton Cebolinha foi muito bem e fez o primeiro gol oficial pelo Benfica. Pedrinho, que havia sido titular contra o PAOK, foi um dos quatro sacrificados por Jorge Jesus e não entrou em campo hoje - apesar de cinco substituições terem sido feitas e de o jogo estar para lá de fácil. Má notícia para Pedrinho, que claramente terá mais problemas do que Éverton para se firmar na Europa.

E o Jorge Jesus, sabedor da temporada monótona que vem pela frente, ainda saiu reclamando de campo. "Não gosto do gol que sofremos, não gosto de sofrer gols", disse. E olha que, quando o Famalicão marcou, já estava 5 a 0 para o Benfica. "Pouco a pouco o time vai evoluir e chegar onde quero".

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL