PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

Pior que a final do Paulista, só mesmo a frustração do são-paulino

Corinthians e Palmeiras ficam no empate no primeiro jogo da decisão - Reprodução/Twitter
Corinthians e Palmeiras ficam no empate no primeiro jogo da decisão Imagem: Reprodução/Twitter
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

06/08/2020 04h00

É realmente difícil ficar empolgado com a volta do Brasileiro, que está a ponto de começar - de forma capenga. A quarta à noite nos deu aquela lembrança do que era e é o futebol brasileiro. Muita tensão e briguinha no Gre-Nal e no dérbi paulista, pouca bola.

O 0 a 0 da primeira final entre Corinthians e Palmeiras teve praticamente zero chances de gol. Pior do que foi o jogo, só mesmo deve ser a raiva e a frustração dos torcedores do São Paulo.

Antes da parada do futebol, o São Paulo mostrava mais coisas interessantes e perspectiva que Corinthians e mesmo que o Palmeiras, que, ainda por cima, perdeu Dudu. A última imagem deixada pelo time de Fernando Diniz era boa, promissora.

Mas o futebol voltou após quatro meses, o São Paulo titular jogou mais ou menos contra o Red Bull Bragantino e, ato seguido, sucumbiu diante do catado do Mirassol. Por pior bola que apresente, é óbvio que o Corinthians venceria o Mirassol na semi. É o que o São Paulo parece ser incapaz de fazer, dar um jeito de ganhar, mesmo jogando mal.

O São Paulo de Diniz perde quando joga mal e, às vezes, até quando joga bem. É um time que apresenta um jogo mais bacana de ver do que Corinthians e Palmeiras, mas que é inegavelmente menos competitivo do que ambos.

Depois da porcaria que vimos quarta à noite... deve dar uma raiva, convenhamos.

Para a volta, sábado, só resta torcer para que algo melhor seja jogado. Rezemos por um gol no início e dias melhores.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL