PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Julio Gomes

Desintegração do Benfica aumenta pressão por Jorge Jesus

Jorge Jesus poderia deixar o Flamengo para voltar a Portugal? - Getty Images
Jorge Jesus poderia deixar o Flamengo para voltar a Portugal? Imagem: Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

29/06/2020 19h30

O Benfica perdeu mais uma. E cá em Portugal, onde estou, como no Brasil, a história é a mesma. Os dedos apontam para o técnico. O defenestrado da vez chama-se Bruno Lage. E o nome que aparece em todas as mesas redondas é o de Jorge Jesus, ainda que sempre acompanhado de uma importante ressalva: para já, um sonho quase impossível.

Em um campeonato tão desequilibrado como o Português, chega a ser inacreditável o que aconteceu com o Benfica, campeão de cinco das últimas seis edições. Logo antes da parada do futebol, vinha de eliminação na Europa League e uma vitória em cinco jogos aqui em Portugal. Tropeços que o fizeram perder a liderança e ficar um ponto atrás do Porto quando veio a pandemia.

Com a derrota desta segunda por 2 a 0 para o Marítimo, na Ilha da Madeira, o Benfica fechou o mês de junho com uma vitória, dois empates e duas derrotas. Só 5 de 15 pontos possíveis. Enquanto isso, o Porto, que nesta noite venceu o Paços Ferreira por 1 a 0, somou 10 pontos. Também teve seus tropeços, mas agora já não sofre gols há quatro jogos, abriu seis pontos na liderança e certamente será o campeão português.

Bruno Lage é um técnico jovem, desta geração de portugueses que estão se espalhando pelo mundo. Passou por vários países, quase sempre como assistente, até assumir o Benfica B e pular para a equipe principal em janeiro de 2019, quando o clube demitiu Rui Vitória. Lage pegou o Benfica a sete pontos do Porto, mas conseguiu levar os encarnados ao título. Nesta temporada, as coisas corriam mais ou menos bem, mas ganhar só dois em dez jogos no Benfica, aqui em Portugal, é o mesmo que assinar a sentença.

Segundo o jornal "A Bola", a demissão será oficializada nesta terça. E as mesas redondas tratam de Jorge Jesus quase como nome único para assumir o clube.

O atual técnico do Flamengo treinou o Benfica entre 2009 e 2015, foi campeão português três vezes e levou outras seis Copas domésticas. O problema é que Jesus acaba de renovar com o Flamengo e com um salário alto até para os padrões europeus.

A pressão está em Luis Filipe Vieira, o presidente mais longevo da história do Benfica, em seu quinto mandato e comandando o clube há 17 anos. É ele quem tentará tirar Jesus do Flamengo. Na mídia lusa, o tom é de sonho impossível, justamente pelo fato de o técnico ter acabado de renovar. O nome mais provável no momento para assumir o clube é o de Marco Silva, que treinou o Everton e foi demitido no meio da temporada passada.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Julio Gomes