PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Liverpool campeão! Título estranho, mas merecido e histórico

Jurgen Klopp, técnico do Liverpool, abraça o goleiro brasileiro Alisson - Andrew Powell/Liverpool FC via Getty Images
Jurgen Klopp, técnico do Liverpool, abraça o goleiro brasileiro Alisson Imagem: Andrew Powell/Liverpool FC via Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

25/06/2020 18h13

Como demorou para sair o título do Liverpool! Demorou por causa das três décadas. Demorou por causa da pandemia. Não haverá comemoração, não haverá desfile em carro aberto, não haverá folia.

É um título esquisito, sem dúvida. O Liverpool abriu tamanha vantagem na tabela logo de cara que ficou claro que seria campeão e, afinal, a fila de 30 anos sem o título inglês acabaria. Mas aí veio a história de ser campeão invicto (não rolou), veio a Champions League (não rolou), Copa da Inglaterra (não rolou), veio a pandemia (e nem título rolou).

Teria sido uma pena realmente se o coronavírus tivesse impedido a sequência da Premier League e o Liverpool ficasse com um título seguido de um gigante e injusto asterisco. Que bom que deu para ser no campo.

Mas com o carimbo dos pontos corridos: um título definido meses atrás e no sofá, sem jogar. O título matemático, com incríveis sete rodadas de antecipação, veio com a derrota do Manchester City para o Chelsea, nesta quinta. São 23 pontos que separam os times de Klopp e Guardiola, com 21 para jogar. O duelo entre eles, semana que vem, servirá para absolutamente nada.

O ano natural de 2019 do Liverpool foi surreal. Uma sequência absurda de vitórias na Premier no primeiro semestre, que acabou não sendo suficiente para superar o City na tabela; o título europeu; e, claro, a arrancada no atual campeonato no segundo semestre. Ainda teve o Mundial, que para eles é apenas uma cerejinha no bolo. Mas em 2020, inegavelmente, houve alguma perda de ritmo. Os resultados seguiram bons, mas o time imbatível virou um time com alguns pontos fracos, tanto que caiu para o Atlético de Madrid.

O caneco é histórico por quebrar a fila de três décadas do que era o maior campeão inglês e perdeu a coroa no período. O caneco é histórico pelas incríveis sete rodadas de antecipação. O caneco é mais do que merecido, para um time dinâmico, agressivo, com um perfeito encaixe entre as peças.

Mas o caneco é também esquisitaço. Meio brochante, até, ainda que nenhum torcedor dos Reds admitirá.

Faça a sua festa, torcedor do Liverpool! Mas em casa.

Julio Gomes