PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Decisão tomada na Holanda é o início de tantas distorções esportivas

Jogadores do Ajax durante partida da Liga dos Campeões -
Jogadores do Ajax durante partida da Liga dos Campeões
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

25/04/2020 13h24

Resumo da notícia

  • Holanda declarou temporada 19/20 encerrada, sem campeão
  • Vagas europeias foram distribuídas de acordo com a classificação atual
  • Rebaixamento foi cancelado, gerando uma enorme injustiça

Estamos chegando ao momento em que as ligas europeias terão de tomar uma decisão. Seguir? Parar? O que fazer?

Na Holanda, o futebol está proibido até setembro. A Eredivisie declarou, então, o campeonato encerrado - já que a Uefa pede para que as ligas nacionais sejam encerradas até o fim de julho.

O pepino são as decisões tomadas. Ajax e AZ Alkmaar lideravam com 56 pontos, faltando nove jogos para o final. O Ajax tem um saldo de gols melhor. Convenhamos, seria ridículo declarar um campeão. Como são duas vagas para a Champions League 20/21, entram os dois. Mas o Ajax vai direto para a fase de grupos, o AZ não.

Aqui, a primeira "injustiça". Faz muita diferença, nem preciso explicar por que, ir direto para a Champions ou jogar as eliminatórias antes. O Ajax tem 26 títulos holandeses. Convenhamos, um a mais, um a menos.... Mas o AZ, coitado, tem dois títulos em sua história. Tinha, finalmente, a chance de romper a lista que foi dominada por três clubes na história do país. E vai ficar sem ela, sem vaga na Champions, com muita frustração.

Depois vem a Liga Europa. PSV e Feyenoord estão em terceiro e quarto e ficariam ali mesmo, com as vagas. Mas o quinto é o Willem II, com 44 pontos e saldo de +3 em 26 partidas. O Utrecht tem 41 pontos, saldo de 16 e 25 partidas - uma a menos. Ganhando esse jogo a menos, ele passaria ao quinto lugar. Mas a determinação manda o Willem II para a Europa League.

O mais absurdo é o rebaixamento. Apesar de os clubes terem votado, em sua maioria, por haver rebaixamento, a Federação Holandesa deu uma canetada e decidiu que não haveria queda. E o pior: não haverá acesso.

Na primeira divisão, o ADO Den Haag está em penúltimo, 7 pontos atrás do antepenúltimo. E o RKC Waalwiik é o lanterna, 11 pontos atrás. É óbvio que cairiam. Na segunda divisão, o coitado do líder, Cambuur, tem 11 pontos a mais que o terceiro colocado. O vice-líder, De Graafschap, 7 a mais. É também bastante óbvio que subiriam.

Tantas decisões seriam mais justas do que as tomadas. Até jogar moedinha para cima é mais justo do que fazer o que foi feito.

Em termos de rebaixamento, o recomendável seria uma liga com 20 times na temporada que vem. Ou pelo menos que subam o Cambuur e rebaixem o Waalwiik.

O ideal mesmo seria que tudo fosse decidido no campo. Uma partida só, talvez? Se os jogadores estão em quarentena e livres do Covid, por que não jogar? Uma partida só. Ajax x AZ, a final para decidir o campeão. Willem x Utrecht, para decidir Europa League. E, sei lá, Den Haag x De Graafschap para definir quem joga a Eredivisie.

Claro que o este "ideal" teria de ser aceito pelo governo.

Enfim, não é o que foi decidido e o que está feito, está feito. Mas é apenas um exemplo de como simplesmente parar as ligas gerará um caminhão de injustiças e problemas jurídicos - porque os clubes, claro, irão apelar da decisão. O melhor remédio ainda é esperar. E tentar jogar.

Julio Gomes