PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


A única Liga que não pode acabar sem campeão é a Premier inglesa

Anfield, estádio do Liverpool, antes do jogo contra o Atlético de Madri pela Champions - Julian Finney/Getty Images
Anfield, estádio do Liverpool, antes do jogo contra o Atlético de Madri pela Champions Imagem: Julian Finney/Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

30/03/2020 06h00

O coronavírus se alastra, os números de contaminados e mortos explodem e não sabemos o que será das nossas vidas, do planeta e o que dirá do futebol. Neste momento, sair de casa, salvo necessidade extrema, é um ato que se aproxima muito mais da burrice do que da coragem. É difícil imaginar que jogos de futebol aconteçam nos próximos meses. E, se acontecerem, muito provavelmente serão com portões fechados.

No momento em que tudo parou, muitos campeonatos estavam em andamento. Mas um deles, somente um, não pode acabar desse jeito, sem campeão ou com um campeão com o maior asterisco da história: a Premier League inglesa.

Neste momento, com a tabela congelada, o Liverpool, eu sua campanha histórica, de 27 vitórias em 29 partidas, tem 82 pontos. O vice-líder, o Manchester City, tem 57, ou seja, 25 pontos a menos. Se vencesse todos os jogos que ainda teria a fazer, o City poderia chegar no máximo a 87 pontos.

Ou seja, o título por antecipação do Liverpool era uma questão de mais uma ou duas rodadas, três no máximo. Quis o destino que não houvesse tempo para o título matematicamente, com festa ou desfile em carro aberto para a quebra de um jejum de 30 anos - talvez para o bem de muitos.

O Liverpool é o clube inglês mais bem sucedido internacionalmente e era também o maior campeão do país. Até que veio a derrocada, justo na "era Premier League", e o Manchester United ultrapassou o grande rival em número de conquistas - hoje está 20 a 18 para o United. Quando o Liverpool venceu seu último título inglês, em 1990, essa disputa apontava 18 a 7 e quem mais se aproximava dos Reds eram Arsenal e Everton, com 9 títulos (a metade do que tinha o então líder da lista).

Afinal, 30 anos depois, o Liverpool quebraria o tabu. E, mesmo que o clima não seja para festa, seria muito triste que a Premier fosse cancelada sem um campeão. Espero que dentro de uns dois meses seja possível realizar jogos - mesmo que sejam só jogos do Liverpool com portões fechados, até o time de Klopp ganhar mais seis pontos e ser proclamado campeão sem asterisco algum.

As outras Ligas europeias poderiam ser canceladas, convenhamos.

Na Itália, a Juventus tem um ponto a mais que a Lazio, ainda com 12 rodadas a serem disputadas e um país em frangalhos. Na Espanha, outro país extremamente afetado pelo corona, Barcelona e Real Madrid estão separados por dois pontos e um título a mais ou a menos para eles não fará diferença. Na França, todos sabemos que o título seria do PSG, mas, ao contrário do Liverpool, não há problema algum se o campeão não sair ou sair com asterisco.

E a Alemanha, o país europeu que melhor está conseguindo conter e combater a pandemia, tem o Bayern quatro pontos à frente do Dortmund, com nove rodadas a serem jogadas. É o país que mais dá pinta de poder prosseguir dentro de um par de meses. Mas não é à toa que a Alemanha é quem melhor está lidando com a situação. É um país sério, organizado e estruturado e, como tal, talvez deixe o futebol de lado até que tudo esteja perfeitamente bem.

Tem também a Champions League. Que ainda nem conseguiu concluir as oitavas de final e está, no momento, a 17 jogos de definir um campeão. Darei um palpite para o que fazer com a Champions amanhã, aqui no blog.

No Brasil, o nosso principal campeonato ainda nem começou. E acho que ninguém vai se jogar da ponte se todos os Estaduais forem simplesmente cancelados. Libertadores e Copa do Brasil podem ficar bem mais para frente no ano, quando a situação estiver melhor.

Para que isso aconteça, lembrem-se, devemos todos ficar em nossas casas, evitar ao máximo qualquer saída. Precisamos ganhar tempo e evitar uma catástrofe em nosso sistema de saúde - o isolamento social está se provando mundo afora a melhor solução para o momento. Futebol? Por enquanto, esqueçam.

Determinar campeões dos campeonatos em andamento, com a fotografia do momento, seria uma cretinice que mal consigo adjetivar. Se for para cancelar, que cancelem sem campeões! Mas, por favor, deixem o Liverpool jogar mais duas partidinhas...

Julio Gomes