PUBLICIDADE
Topo

Corinthians tropeça de novo: Faltam futebol, sorte e coragem a Tiago Nunes

Tiago Nunes comanda o Corinthians contra o Ituano em jogo do Paulistão - Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Tiago Nunes comanda o Corinthians contra o Ituano em jogo do Paulistão Imagem: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

15/03/2020 17h53

Falar que falta futebol ao Corinthians é chover no molhado. Já são seis jogos sem vitórias em um campeonato de nível discutível, que é Paulista. Se o Guarani ganhar o dérbi amanhã contra a Ponte, o Corinthians estará virtualmente eliminado, o que não é pouca coisa.

Falta sorte? Falta também. É claro que um jogo como o deste domingo, o 1 a 1 contra o Ituano, poderia cair para o lado do Corinthians. Uma bola na trave aqui, outra travada ali, um centímetro para cá, outro para lá. A sorte que sempre faltou a Fernando Diniz, por exemplo, hoje parece faltar a Tiago Nunes.

Mas, essencialmente, falta ousadia mesmo. Falta coragem. Em um jogo como o de hoje, Tiago Nunes precisa fazer algo fora da caixa. Tirar um zagueiro de campo, mudar o sistema, inventar um fato novo. Se der errado, pelo menos morre tentando.

O Corinthians é um time apático demais e previsível demais para quem tem tanto tempo para treinar.

Está na cara que o campeonato vai parar, assim como tem acontecido no mundo inteiro, e sabe-se lá quando o coronavírus vai deixar o mundo voltar ao normal. Com essa parada, vai ter jogo de menos e tempo demais para dirigentes "pensarem" - serem pressionados, terem más ideias, etc.

Então não sei se Tiago Nunes tem ou não tem futuro no Corinthians, porque o futebol é aquele moedor que conhecemos. Se ele ficar, precisa mudar. O Corinthians precisa de um chacoalhão, de mais coragem.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL