PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Milagre Atlético: De um lado, estava Oblak. Do outro, não estava Alisson

Adrian lamenta gol sofrido pelo Liverpool na partida contra o Atlético de Madri na Liga dos Campeões - Reuters/Carl Recine
Adrian lamenta gol sofrido pelo Liverpool na partida contra o Atlético de Madri na Liga dos Campeões Imagem: Reuters/Carl Recine
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

11/03/2020 19h43

O futebol é maravilhoso por causa de jogos como o desta quarta-feira, na Inglaterra. Talvez o último grande jogo com público que veremos na Europa por alguns meses, por causa do coronavírus. E ele vai ficar na memória.

De um lado, o melhor time do mundo, o Liverpool. Do outro, o time mais valente do mundo, o Atlético de Madrid.

Antes do confronto, antes até mesmo da primeira partida, vencida pelo Atlético, na Espanha, Jurgen Klopp já havia avisado. "Se você estiver totalmente concentrado e fizer tudo certo, talvez tenha uma chance de eliminar o Atlético. Se não estiver, não tem chance alguma".

Ele tinha razão, como quase sempre.

Campeão da Europa, o Liverpool fez uma partida de futebol enorme. Poderia até ter goleado. Mas uma parede nascida na Eslovênia, chamada Jan Oblak, estava lá para evitar.

Foi uma das grandes atuações de um goleiro na temporada, o que contrasta com a ausência de Alisson do outro lado. Melhor do mundo, o brasileiro de machucou em um treino dias atrás. Adrián, espanhol, virou o vilão da noite ao dar um passe equivocado na prorrogação e entregar o gol que o Atlético precisava.

Naquele momento, aos 7min da primeira parte do tempo extra, o Liverpool vencia por 2 a 0, pois tinha, finalmente, furado Oblak com um gol de Firmino pouco antes.

Adrián saiu jogando errado, João Félix roubou a bola, passou para Llorente, que chutou. Era um bola, ainda por cima, defensável. Para gente como Oblak e Alisson, não para goleiros "normais", como Adrián.

No contra ataque puxado por Morata, oito minutos depois, Llorente voltou a acertar um chute de fora da área para empatar a partida em 2 a 2. No fim, Morata ainda fez o 3 a 2 para eliminar o Liverpool. Llorente é um volante, havia entrado aos 11min do segundo tempo no lugar de Diego Costa - que saiu de campo cuspindo marimbondos contra Simeone.

Parecia uma substituição defensiva. Mas o Atlético melhorou em campo naquele momento, ganhando mais força no meio e velocidade na frente. De qualquer forma, o Liverpool continuou em cima, atacando.

A grande virtude do Atlético de Simeone é e sempre foi a capacidade de concentração, se defende como nenhum outro time no mundo. Não é só posicionamento e gente correndo atrás da bola: é sincronia, foco, respeito pelo adversário, atenção o tempo todo. É um time tão bom que não notamos a qualidade nos momentos em que tem a bola. Eu consigo ver muita beleza onde alguns apenas veem retranca.

Assim como vejo beleza no jogo do Liverpool. Muita beleza, por sinal. Contra um time que se defende tão bem, é muito complicado criar chances como o Liverpool criou. Mas são várias as barreiras, e a última delas, Oblak, teve uma noite especial.

Falavam na demissão de Simeone, eu mesmo considerava o ciclo encerrado. O Atlético poderia ter sido campeão espanhol, em uma temporada tão instável de Real Madrid e Barcelona, mas é muito diferente para este time atuar nos jogos pequenos, que precisam ser vencidos de qualquer maneira. O Atlético é um time talhado para partidas como a de hoje.

O Liverpool será campeão inglês, mas não conseguirá defender o título europeu. Continua sendo o melhor time de futebol do mundo - mas só quando tem Alisson.

Julio Gomes