PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Erro inaceitável do VAR muda clássico na Inglaterra

Jogadores do Manchester United comemoram gol de Martial diante do Chelsea - Hannah MacKay/Reuters
Jogadores do Manchester United comemoram gol de Martial diante do Chelsea Imagem: Hannah MacKay/Reuters
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

17/02/2020 19h10

O Manchester United ganhou por 2 a 0 do Chelsea, em Londres, um resultado crucial para a classificação da Premier League, pensando em vagas em competições europeias. A derrota "arrasta" o Chelsea para uma briga que tem um monte de times nas posições intermediárias. E, claro, impulsiona o United.

O jogo foi bom, como sempre, e nada deu certo para o Chelsea, que teve bola na trave e dois gols anulados pelo VAR. O United conseguiu ser mais eficiente, fez dois belos gols de cabeça e... teve uma ajudinha.

Se no Brasil o VAR interfere demais, na Inglaterra costuma interferir de menos. Hoje, porém, interferiu e... errou. Um gol de empate do Chelsea foi anulado por suposto empurrão de Azpilicueta na área. O problema é que o lateral espanhol também foi empurrado no lance por trás, por Fred.

É o famoso "segue o jogo". Nem pênalti nem falta, apenas gol.

O VAR inglês, que interfere de menos, resolveu apontar falta no lance. O VAR inglês, que tenta chegar rapidamente aos veredictos (o que é bom), não olhou o lance com atenção. O juiz não foi conferir na lateral do campo - o que também acho uma boa, na verdade. E pronto, caca feita.

Com mais 10 segundos, os caras teriam visto que o gol não poderia ter sido anulado. Quem tem (tanta) pressa, come cru, já sabemos.

Não é aceitável um erro desse tamanho tendo o vídeo e as repetições à disposição. A Premier League merece muitos elogios, é o melhor campeonato nacional de clubes do mundo. Mas muitas vezes quer ser mais realista que o rei. Um pequeno ajuste no uso do VAR faria com que ele fosse muito mais eficiente. Um pouquinho mais de humildade, vamos falar o português claro.

Não é aceitável o Chelsea ter um gol anulado como teve hoje. As razões são diferentes, mas lá, como cá, tem lambança de montão.

Julio Gomes