PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Tiago Nunes merece seguir, até para corrigir erro de não pegar time em 2019

Tiago Nunes, técnico do Corinthians, durante partida contra o Guaraní (PAR) - NELSON ALMEIDA / AFP
Tiago Nunes, técnico do Corinthians, durante partida contra o Guaraní (PAR) Imagem: NELSON ALMEIDA / AFP
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

13/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Tiago Nunes teve a chance de assumir o Corinthians ainda em 2019
  • Poderia ter levado o time à fase de grupos e conhecido melhor clube e jogadores
  • O trabalho pode e deve continuar, mas o técnico tem uma dívida a pagar

Eu fico muito tranquilo para falar: Tiago Nunes errou ao não assumir o Corinthians já no ano passado. "Agora é fácil", dirão alguns. E eu respondo com um link: o que escrevi no blog, em novembro. Falei aqui no UOL e no Bandsports, minha outra tribuna, diversas vezes sobre isso.

A eliminação do Corinthians pelo Guaraní passa por isso, no meu ponto de vista. Na entrevista após o jogo, Tiago Nunes preferiu responsabilizar o árbitro. Passou pano para a expulsão de Pedrinho. Mas, no meio de tudo aquilo, disse: "São nove jogos, é só o início de um trabalho. Entender quem vai fazer parte desse elenco até o final da temporada leva certo tempo".

Oras bolas. Coelho foi o técnico do Corinthians nos últimos oito jogos do Brasileiro. Tiago Nunes poderia ter comandado o time em seis ou sete destes jogos. Já teria acumulado o conhecimento sobre os jogadores que só está acumulando agora - Pedrinho, por exemplo, trabalhou somente algumas horas com o treinador. O clube poderia ter sido mais assertivo e mais rápido, até, com as contratações e dispensas.

Coelho fez 11 dos 24 pontos possíveis para o Corinthians na reta final do campeonato. O clube ficou sete pontos atrás do São Paulo, nove atrás do Grêmio. Não era possível saber que o Flamengo seria campeão da Libertadores e uma vaga a mais na fase de grupos seria aberta. Então bastariam mais sete pontos para o Corinthians se igualar ao São Paulo - sem contar a pressão extra que teria sido colocada no claudicante time de Diniz.

Se Tiago Nunes conseguiu, em um mês, colocar o Corinthians em bom nível, será que não teria conseguido o mesmo no ano passado? Não teria conseguido fazer 18 de 24 pontos?

"Ah, mas Julio, havia o risco de nem na Pré-Libertadores ele entrar". Se bobear, era melhor não entrar na Pré do que ser eliminado pelo Guaraní. De qualquer forma, não acredito que Tiago teria levado o time a uma campanha ainda inferior à de Coelho.

Ele deveria ter assumido, porque seu trabalho em 2020 dependia de uma boa reta final em 2019. Era do interesse dele colocar o time em uma posição melhor. Além do resultado, para adquirir conhecimento de jogadores, clube, torcida. O time poderia ter começado em um estágio já superior neste ano, e essa pode ter sido a diferença entre passar ou não passar.

Tiago Nunes merece ficar. Assim como o Corinthians fez com Tite em 2011, é importante apostar em um trabalho quando se acredita nele. O Corinthians confiou em Tiago Nunes e, por enquanto, há razões para seguir confiando. Existe uma mudança de estilo sendo aplicada, uma mudança para melhor, para a direção certa.

Mas a eliminação é pesada, muito pesada, e as justificativas dadas pelo treinador, que escrevi acima, não podem ser aceitas. Foi uma escolha dele. Foi um erro. Cabe a ele corrigir.

Julio Gomes