PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Após 11 anos de títulos, temporada do Barcelona caminha rumo ao caos

Messi lamenta após gol do Athletic Bilbao contra o Barcelona - REUTERS/Vincent West
Messi lamenta após gol do Athletic Bilbao contra o Barcelona Imagem: REUTERS/Vincent West
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

07/02/2020 08h19

Resumo da notícia

  • Barcelona é eliminado da Copa do Rei e vive ebulição fora de campo
  • A última vez que o clube ficou sem ganhar nada foi em 07/08

A Copa do Rei dos jogos únicos virou a Copa do Rei das zebras. Valencia, Real Madrid e Barcelona caíram diante de Granada, Real Sociedad e Athletic Bilbao, respectivamente. O quarto integrante das semifinais é o Mirandés, time de meio de tabela da segunda divisão, que passou por Sevilla e Villarreal. "La Copa loca", estão chamando assim na Espanha.

A última loucura foi em Bilbao. Um gol nos acréscimos deu a vitória ao Athletic, eliminando o Barça - o clube catalão é o maior campeão de Copas, com 30 títulos, e chegou a 9 das últimas 11 finais (com seis taças no período).

Foi o último jogo das quartas e parecia mais um título servido de bandeja para o Barcelona, com todos os outros concorrentes diretos fora, a começar pelo Real Madrid. Mas, quando a fase não é boa...

O Barcelona até que jogou bem, foi superior ao Athletic e teve um pênalti não marcado. É o que fica de positivo de mais uma jornada majoritariamente lamentável.

E que vem um dia depois do bate boca público entre o hoje diretor Abidal e Messi, obrigando o clube a se mexer nos bastidores para acalmar os ânimos. O discurso após a derrota foi de "grupo unido", de apaziguar os ânimos, dificilmente seria diferente.

O Barça jogava mal com Valverde e continua jogando pouco com Setién - o que mudaram foram os resultados (para pior). Messi anda em campo, como já faz há algum tempo, mas não brilha mais tanto como antes, Suárez está fora da temporada, Dembélé também, há poucas ajudas para o gênio do time.

A pressão no treinador ainda é pequena, pois ele acabou de assumir. Mas nós já vimos na história vários momentos de autoflagelação do Barça. Como se o clube precisasse implodir de vez em quando.

Na Champions League, o Barça vai enfrentar o Napoli, de Gattuso. É favorito, claro, mas está difícil imaginar o Barcelona atual, com Messi e tudo, encarando times como Liverpool, Manchester City, PSG, até a Juventus. O título europeu não vem desde 2015. Aliás, foi apenas uma Champions conquistada das últimas oito, pouco para quem tem Messi.

E na Liga espanhola já são três pontos atrás do Real Madrid. Os próximos jogos são cruciais para o Barça chegar com vida ao clássico do dia 1o de março, no Bernabéu. Neste momento, apesar de também eliminado da Copa do Rei, o Real Madrid parece um time mais estável, mais "na mão" de Zidane, mais capaz de ganhar jogos e o campeonato.

Desde que Messi subiu para o time profissional do Barça, em 2005, houve somente uma temporada em que o clube não ganhou nada, nada, nada, nem uma Supercopazinha. Foi a temporada 2007/2008, aquela em que Rijkaard ficou no cargo por um ano a mais do que deveria e quando Ronaldinho já estava mais para festas do que para bola.

Quando acabou aquela temporada, houve o expurgo geral. E foi alçado para o time de cima um tal Pep Guardiola.

A temporada atual parece se encaminhar de forma bem parecida, para um fim sem título algum. Sem um novo Guardiola no horizonte. E, o principal: sem um novo Messi. Será que uma temporada sem títulos acabará na saída de Messi, como aconteceu com Ronaldinho?

Julio Gomes