PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Vinícius Jr muda o destino do dérbi e confirma momentos de Real e Atlético

Vinicius Junior carrega a bola durante partida entre Atlético de Madri e Real Madrid - Gabriel Bouys/AFP
Vinicius Junior carrega a bola durante partida entre Atlético de Madri e Real Madrid Imagem: Gabriel Bouys/AFP
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

01/02/2020 14h16

Resumo da notícia

  • Atlético de Madrid joga melhor o primeiro tempo e tem pênalti não marcado
  • Zidane muda o Real no intervalo, Vinícius Jr entra e se destaca
  • O Real não perde há 21 jogos, e o Atlético precisa definir se segue com Simeone

Real Madrid muito bem, Atlético de Madrid de mal a pior. O dérbi madrilenho deste sábado confirmou os momentos dos dois times, às vésperas do início do mata-mata da Champions League.

O Real Madrid, sem perder há 21 partidas, ganhou por 1 a 0 e vai se colocando como favorito a reconquistar o título espanhol. O Atlético, sem vencer há três e eliminado da Copa do Rei por um time da terceira divisão, precisa definir se Simeone faz ou não parte do futuro.

O primeiro tempo foi do Atlético. Com uma marcação alta, pressionando e sem fazer faltas, o time de Simeone anulou completamente a ideia de Zidane, que povoou o meio de campo com cinco jogadores, deixando só Benzema à frente. As melhores chances foram do Atlético, que teve também, no meu ponto de vista, um pênalti não marcado de Casemiro sobre Morata.

Mas Zidane evolui rapidamente como treinador, percebeu o que estava acontecendo e fez logo duas mudanças agressivas no intervalo. Entraram Lucas Vázquez e Vinícius Jr, saíram Isco e Kroos. O Real saiu de um 4-5-1 para um 4-3-3, espalhou o campo e complicou a vida do rival.

A mudança funcionou com perfeição, já que Vinícius Jr entrou bem demais na partida, com personalidade e verticalidade. Deu um passe maravilhoso para Mendy cruzar e deixar Benzema livre para fazer o gol único do jogo.

Simeone foi o técnico que recolocou o Atlético no mapa do futebol europeu. Está há oito anos no cargo, não perdia no Bernabéu um jogo de liga espanhola desde 2012 (o primeiro dérbi dele pelo campeonato).

Terá sido o último dérbi dele? A torcida apoia Simeone e a mudança não seria trivial. Mas o Atlético segue firme e forte ladeira abaixo. A sangria precisa ser estancada, e o tempo dirá se será Simeone (ou qualquer outro) conseguirá colocar o Atleti nos eixos.

Julio Gomes