PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por PPV, Globo e UFC conversam para renovar contrato que vence em 2022

Amanda Nunes, atual destaque do Brasil no UFC: evento já conversa com Globo para aumentar contrato  - Jeff Bottari/Zuffa LLC
Amanda Nunes, atual destaque do Brasil no UFC: evento já conversa com Globo para aumentar contrato Imagem: Jeff Bottari/Zuffa LLC
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

Colunista do UOL

21/05/2021 04h00

Diretores do Esporte do Grupo Globo manifestaram interesse para representantes do UFC em renovar o contrato dos direitos de transmissão do maior evento de lutas aqui no Brasil. Mesmo longe de seu auge de popularidade atualmente, ambas as empresas entendem que a parceria está dando certo

A coluna apurou que o principal motivo do interesse da Globo nesta renovação é manter com um bom patamar de audiência o seu canal de lutas por pay-per-view, o Combate. Hoje, ele é uma importante fonte de renda para o grupo, mesmo obtendo metade dos assinantes que teve no período de auge do UFC, na primeira metade de 2010.

Por contrato firmado em 2012, a Globo tem prioridade na renovação antes que o UFC possa com outra empresa de comunicação. Se a Globo exercer esta preferência, o acordo pode ser estendido até 2027, algo que também foi negociado no início da década de 2010.

Atualmente, o Combate é vendido na TV por assinatura e de forma direta para o consumidor por streaming. Durante a pandemia do novo coronavírus, o serviço teve uma queda de 150 mil assinantes nos primeiros dois meses e pela primeira vez desde a explosão do MMA no Brasil em 2011, chegou a ficar abaixo dos níveis mantidos até 2010. Mesmo assim, o negócio ainda é muito lucrativo para a Globo. Já pelo lado do UFC, a exposição que a Globo dá aos eventos ainda é interessante.

As lutas não são transmitidas em TV aberta desde 2018, quando o acordo para esta mídia acabou, mas o evento gosta muito do tratamento que a Globo faz para lutas feitas, mesmo que elas só tenham exibição no modelo pague para ver.

Na TV aberta, a Globo faz cobertura do UFC em seus principais telejornais e programas esportivos. Além disso, a Globo também tem uma correspondente direta para o UFC nos Estados Unidos, a repórter Evelyn Rodrigues, que também é frequentemente usada para outros eventos.

As conversas entre Globo e UFC para um novo contrato são iniciais, mas a tendência é que caminhem para um bom entendimento. Globo e UFC possuem acordos comerciais desde 2002, mas emissora só viu o evento como gigante a partir de 2011, quando comprou o evento para TV aberta após ele fazer sucesso na RedeTV!.