PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Band cresce 300% com F-1, mas categoria perde 55% de público sem Globo

Max Verstappen e Lewis Hamilton na Fórmula 1: categoria sobe Ibope da Band, mas perde público fora da Globo - REUTERS/Albert Gea
Max Verstappen e Lewis Hamilton na Fórmula 1: categoria sobe Ibope da Band, mas perde público fora da Globo Imagem: REUTERS/Albert Gea
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

Colunista do UOL

15/05/2021 04h00

O começo da Fórmula 1 na Band é animador para a emissora, mas comprova como a Globo pode ser uma grande vitrine para eventos esportivos na televisão. A principal categoria do automobilismo mundial disparou a audiência da emissora paulista desde sua estreia, no fim de março. Em contrapartida, perdeu mais da metade do público que tinha no ano passado, quando ainda era transmitida pela emissora carioca.

Segundo dados de audiência da Grande São Paulo, obtidos pela coluna, a categoria tem média na Band de 4 pontos de Ibope até agora. O melhor resultado na média foi obtido na estreia, com o Grande Prêmio do Bahrein, que atingiu 5 pontos com picos de 6. Todos os outros GPs marcaram 4 pontos com picos de 5.

Antes, com a exibição de campeonatos internacionais, a Band marcava 1 ponto no horário de transmissão das corridas. É um crescimento de 300%. A Fórmula 1 também fez a Band brigar pela vice-liderança no horário de sua exibição.

A última corrida, na Espanha, venceu Record e SBT, e só ficou atrás da Globo. Os resultados, para os padrões da Band, são excelentes. Na emissora, diariamente, apenas programas como "Jogo Aberto", "Brasil Urgente" e "Jornal da Band", além do "MasterChef" marcam índices parecidos com a F-1.

Mas é inegável que a categoria perdeu alcance com a saída da Globo. Em São Paulo, a média das corridas da Fórmula 1 na capital era de 9 pontos. Com isso, a categoria perdeu 55% do público que assistia às corridas. É mais da metade em relação ao que era alcançado no canal que transmitiu a F-1 por 40 anos.

Mas para a Band e para a Liberty Media, dona da categoria, a ida para a nova emissora é um bom negócio. Além das corridas, a Band exibe os treinos de classificação nos sábados, algo que a Globo não fazia desde 2014, e também a cerimônia de premiação dos pilotos, o que a antecessora deixou de fazer em 2018 na TV aberta, transmitia somente para a internet.

O modelo de negócio da Band com a Liberty é de sociedade. Tudo o que for arrecadado em patrocínios é dividido meio a meio. Atualmente, a Band tem quatro patrocinadores fechados para a F-1: Claro, Philco, Heineken e Banco do Brasil.

A próxima transmissão será feita no dia 23 de maio, com o tradicional Grande Prêmio de Mônaco. A narração será de Sérgio Maurício.