PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

SBT não é só um tapa-buraco antes da Libertadores voltar para a Globo

Téo José, titular das transmissões da Libertadores no SBT: proximidade grande com a Conmebol é evidenciada na última semana - Marcus Steinmeyer/UOL
Téo José, titular das transmissões da Libertadores no SBT: proximidade grande com a Conmebol é evidenciada na última semana Imagem: Marcus Steinmeyer/UOL
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

18/04/2021 04h00

A semana mostrou que a relação SBT e Conmebol é mais próxima do que muita gente imaginava. Nos últimos dias, a emissora de Silvio Santos leu um comunicado institucional da entidade com tom otimista, encaminhou a transmissão da Copa América 2021 e fez algo que a Globo jamais fez: mudou um jogo que já estava agendado para transmissão da Libertadores da América.

O contrato do SBT com a Libertadores vai até o fim de 2022, mas a negociação para o próximo ciclo, que começa em 2023, deve começar no segundo semestre. Ter uma relação próxima com quem faz o torneio é importante para o negócio sair. O contrato terá novamente um intermediário, a FC Diez Media, agência licenciada pela entidade até 2026.

O primeiro exemplo dessa proximidade foi o encaminhamento de acordo para a exibição da Copa América deste ano, entre junho e julho. O contrato, negociado com a japonesa Dentsu, também dá direito de exibição de outras competições da entidade. A Conmebol preferiu o SBT porque está em litígio com a Globo: a emissora carioca abriu mão da Libertadores em 2020, em rescisão de contrato unilateral. Além da TV aberta, o SBT vai exibir partidas da competição em um novo sistema de pay-per-view.

O segundo fato importante teve a voz do narrador Téo José: durante a transmissão de Santos x San Lorenzo (ARG), ele leu um comunicado do presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, sobre a doação de 50 mil vacinas que serão usadas nos próximos meses. Segundo o anúncio, para "imunizar jogadores das competições da entidade".

Em tom bastante otimista, usando o termo "melhor notícia para o futebol sul-americano em muito tempo", o texto impressionou telespectadores. A doação de vacinas para a Conmebol foi criticada por torcedores e dirigentes. Na mesma terça-feira (13), horas antes da partida, o presidente do Santos, Andrés Rueda, afirmou ao SporTV que não concordava com a prioridade. "Vou dar uma opinião mais pessoal: não vejo com bons olhos você começar a dar vantagem, acho desumano. Só porque sou presidente do clube irei tomar vacina na frente de um carregador de papelão? Isso demonstra que poder econômico pode determinar algo, mas vidas não têm preço. Está acima desta questão", disse Rueda.

Por fim, na última sexta-feira (16), o SBT decidiu mudar o jogo que iria exibir na segunda rodada da Libertadores da América. Saiu Atlético-MG x América de Cali (COL) e entrou Internacional x Deportivo Táchira (VEN). A troca aconteceu porque o Grêmio foi eliminado pelo Independente Del Valle (EQU) e Porto Alegre, uma cidade em o SBT liderou o Ibope com a Libertadores em 2020, não teria jogos de seus clubes exibidos na fase de grupos.

A Globo, por exemplo, jamais fez mudanças assim, até pela rigidez que a Conmebol exigia das escolhas. Facilitou para o SBT o fato de os dois jogos serem exibidos, na TV por assinatura, pelo Conmebol TV —que só exibe em pay-per-view os jogos não escolhidos pelo SBT e pelo Fox Sports (dono dos direitos em TV fechada). Em 2020, quando ainda podia exibir a Libertadores, a Globo "morreu abraçada" na primeira rodada da competição com Bolívar (BOL) x Guaraní (PAR) —tinha direito do jogo, mas não o mostrou. O motivo? O Corinthians foi eliminado na fase preliminar da competição pelo Guaraní e não havia como mudar os jogos transmitidos para São Paulo.

Esses três acontecimentos mostram que a ideia de que o SBT é apenas um "tapa-buraco" para a Conmebol enquanto a Globo não volta é errada. O canal de Silvio Santos virou um empresa forte porque consegue entregar o que a Conmebol quer e faz algo que a Globo não conseguiu: criou um relacionamento próximo e com diálogo. Pode-se questionar como essa proximidade acontece, mas não que ela existe.

Hoje, dá para dizer: o SBT está na frente da Globo na luta pela Libertadores a partir de 2023. A ver o que acontecerá nos próximos capítulos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL