PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ex-Fox Sports acionam Disney na Justiça do Trabalho após contratos acabarem

José Ilan: apresentador ex-Fox Sports processou Disney na Justiça do Trabalho - Reprodução/Instagram
José Ilan: apresentador ex-Fox Sports processou Disney na Justiça do Trabalho Imagem: Reprodução/Instagram
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

22/03/2021 04h00

A Disney começou a receber, no início do mês, uma série de processos trabalhistas de profissionais que trabalharam no Fox Sports até o fim do ano passado e não tiveram seus contratos renovados. A coluna apurou que pelo menos quatro jornalistas acionaram a Justiça do Trabalho: Flávio Gomes, José Ilan, Juliano Lima e Paulo Lima. Ricardo Lay, hoje repórter da Globo, deve engrossar a lista nos próximos dias.

Ilan, Paulo, Juliano e Gomes entraram com ações diferentes, representados por Leonardo Quintella, um dos mais respeitados advogados trabalhistas do Rio de Janeiro. A coluna apurou que, frequentemente, Juliano Lima vai como testemunha em audiências na Justiça contra o Fox Sports. Os processos versam sobre temas similares, pedem o pagamento de verbas trabalhistas e indenização por danos morais pela forma que foram desligados da empresa.

O caso de José Ilan será julgado na 58ª Vara do Trabalho de Rio de Janeiro. Já o de Flávio Gomes tramita na 52ª Vara do Trabalho de Rio de Janeiro. Por fim, a ação de Paulo Lima será apreciada na 10ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região. J

Ricardo Lay, recentemente contratado como repórter esportivo da Globo, deve acionar nos próximos dia a Justiça do Trabalho no Rio Grande do Sul. Serão duas ações nesse estado, que terão representação dos advogados Carlos Alberto Silva Neto e Diogo Brasil. Todos os casos estão sem previsão de conclusão.

Os processos já eram esperados desde o fim do ano passado. Muitos profissionais que deixaram o Fox Sports se incomodaram com a postura da Disney na fusão com a ESPN, aprovada em maio de 2020 pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Alguns, como Marco de Vargas e Eder Reis, tinham acordos assinados até 2022. A empresa, por sua vez, alega que a redução de pessoal era permitida pelo órgão governamental.

A coluna procurou os profissionais envolvidos nestes processos e seus respectivos advogados, e Flávio Gomes, José Ilan e Paulo Lima preferiram não comentar o assunto. O advogado Leonardo Quintella alegou, por meio de sua secretária, que só poderia falar sobre o assunto com a reportagem em abril em virtude da pandemia do coronavírus.

Carlos Alberto Silva Neto e Diogo Brasil, advogados de Ricardo Lay, confirmaram a intenção processual e ficaram de enviar uma posição sobre a reportagem caso fossem autorizados, mas não o fizeram até a publicação. Ricardo Lay também foi procurado pela coluna diretamente, mas não respondeu aos contatos.