PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Sabe quando tudo dá certo? Verstappen sabe

O holandês Max Verstappen no cockpit do carro da Red Bull neste sábado em Montréal  - Dan Mullan/Getty Images/Red Bull
O holandês Max Verstappen no cockpit do carro da Red Bull neste sábado em Montréal Imagem: Dan Mullan/Getty Images/Red Bull
só para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

18/06/2022 18h14

Sabe quando tudo dá certo? Verstappen sabe.

O holandês conquistou a pole position para o GP do Canadá, nona etapa do Mundial. Seus dois (teóricos) adversários na luta pelo título largarão bem lá atrás. Pérez, seu companheiro de Red Bull, é só o 13º no grid. Leclerc, da Ferrari, sairá da última fila, em 19º.

É a 15ª pole do campeão, a segunda no ano, a primeira em Montréal.

Alonso sairá ao seu lado, sua melhor posição no grid desde o GP da Alemanha de 2012. A segunda fila terá Sainz e Hamilton. Magnussen e Schumacher formam a terceira fila.

Cinco equipes representadas nas cinco primeiras posições, um oferecimento da pista molhada de Montréal.

Sabe quando tudo dá errado? Leclerc pode contar essa história. Depois de trocar a centralina na sexta-feira, perdendo dez posições no grid, o monegasco aproveitou para trocar outros cinco componentes da unidade de potência, sacrificar a corrida e largar em último.

Desta forma, terá, em tese, vida mais tranquila nas próximas etapas do campeonato. Se é que isso existe na Ferrari...

O sábado em Montréal foi de muita chuva, pista molhada o tempo todo.

No terceiro treino livre, deu Alonso, seguido por Gasly e Vettel. Os protagonistas do campeonato ficaram lá atrás: Pérez foi apenas o oitavo colocado, Verstappen ficou em nono e Leclerc nem sequer marcou tempo. Arriscar pra quê?

A classificação começou com todo mundo de pneus de chuva, visibilidade quase nula, poças d'água pra todo lado. O desafio era tentar manter-se na pista por uma volta completa e encaixar um bom tempo. "Qual é o maior problema?", perguntou o engenheiro de Verstappen. "O tráfego", rebateu o holandês, que mesmo assim fez o melhor tempo do Q1.

A marca do atual campeão, 1min32s219, foi 0s058 mais veloz que a de Alonso, o segundo. Sainz, Magnussen (!!??) e Leclerc vieram na sequência.

max343 - Dan Mullan/Getty Images/Red Bull - Dan Mullan/Getty Images/Red Bull
Max Verstappen, da Red Bull, em ação nesta sábado no circuito Gilles Villeneuve, em Montréal
Imagem: Dan Mullan/Getty Images/Red Bull

Os eliminados foram Gasly, Vettel, Stroll, Latifi e Tsunoda. Um sábado ruim para a AlphaTauri.

Veio o Q2. E Leclerc saiu do carro antes mesmo da luz verde. Compreensível.

A situação do asfalto melhorou e muita gente começou a experimentar os pneus de chuva. Alonso estava em primeiro, seguido por Verstappen e Sainz quando Pérez escapou da pista e estampou as barreiras entre as curvas 3 e 4. Bandeira vermelha, sessão interrompida.

Foram mais nove minutos de ação quando veio a luz verde. E, com um trilho seco se formando, todo mundo saiu dos boxes com os pneus de banda verde, intermediários.

Os tempos começaram a despencar, e Verstappen prevaleceu no fim: 1min23s746. Alonso foi o segundo, com Russell, Sainz e Hamilton logo atrás. Fechando o top 10, Schumacher, Zhou, Ocon, Magnussen e Ricciardo.

Os cortados foram Bottas, Albon, Pérez, Norris e Leclerc.

Veio então o Q3. E foi relativamente fácil para Verstappen, sem adversários à altura.

Na primeira série de volta, ele mandou logo 1min22s701. Nos minutos finais, Russell foi pro tudo ou nada: colocou pneus slick pra ver no que dava. Não deu nada. Mas valeu pela ousadia.

alonsss - Reprodução/F1TV - Reprodução/F1TV
O espanhol Fernando Alonso, da Alpine, que largará em segundo lugar no GP do Canadá
Imagem: Reprodução/F1TV

Alheio à tentativa do inglês, Verstappen pisou fundo e mandou 1min21s620. Na última, baixou ainda mais, para 1min21s299. Assegurou sua 15ª pole, igualando a marca de Leclerc na F1. Com mais uma, entrará no grupo de 20 pilotos com mais poles na história da categoria.

"As condições da pista estavam traiçoeiras, mas tomamos as decisões certas. É ótimo estar de volta a Montréal", disse o holandês, para aplausos do público.

Mas ninguém foi tão ovacionado quanto Alonso, dono de 22 poles, mas que mais parecia um novato celebrando: "O carro estava mega, eu estava muito confortável, os fãs me empurraram para a frente. Amanhã vou partir pra cima dele na primeira curva!"

Será? A largada será às 15h de Brasília.