PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Leclerc é pole e mantém vivo o sonho de um domingo feliz em casa

Charles Leclerc, da Ferrari, durante a sessão classificatória para o GP de Mônaco - Ferrari
Charles Leclerc, da Ferrari, durante a sessão classificatória para o GP de Mônaco Imagem: Ferrari
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

28/05/2022 12h10

Leclerc deu um passo importante na sua jornada particular, na sua busca por um domingo feliz em casa. As chances de finalmente vencer em Mônaco nunca foram tão grandes. O sonho está mais vivo do que nunca.

O monegasco cravou a pole position para a sétima etapa do campeonato. É sua 14ª pole na carreira, a quinta no ano, a terceira consecutiva, a segunda seguida nas ruas do principado.

"Estou incrivelmente feliz. Sabia que o carro tinha ritmo, eu só tinha que fazer o meu trabalho", disse o ferrarista, ao sair do carro.

A primeira parte do trabalho foi bem concluída, e os iates ancorados no principado voltaram a soar suas buzinas para celebrar. Mas ainda há a segunda parte pela frente, e Leclerc sabe muito bem disso.

Tudo o que ele quer, agora, é uma sorte melhor que a vivida em 2021.

No ano passado, bateu no final da classificação, avariando a caixa de câmbio. No domingo, ficou pelo caminho quando dirigia para a primeira posição do grid. Foi só mais um capítulo de uma história de azares: ele nunca conseguiu terminar uma corrida de F2 ou F1 em casa.

Agora, além de todo a força que vem demonstrando, tem uma ajuda extra: seu companheiro na Ferrari larga em segundo. Sainz ficou a 0s225 e larga em segundo. A segunda fila terá Pérez e Verstappen.

Norris teve um excelente dia e sai em quinto, com Russell ao seu lado. A quarta fila terá dois campeões: Alonso e Hamilton. Vettel e Ocon fecham o top 10.

Foi um sábado de sol em Mônaco, 26°C no ar, 46°C no asfalto, um dia deslumbrante.

Mais rápido em dois dos três treinos livres, Leclerc começou mandando na classificação. Logo fez 1min12s569, melhor marca do Q1. Sainz ficou a 0s047.

A sessão foi interrompida a 2min25s do final porque Tsunoda acertou o guard rail na chegada à chicane da piscina. Quando a luz verde veio, todos o que ainda lutavam por tempo foram para a pista. Aconteceu o que sempre acontece em Mônaco em situações assim: muito tráfego, muita gente brava, muitos pilotos agoniados por não conseguirem avançar.

Os cortados foram Albon, Gasly, Stroll, Latifi e Zhou.

O francês da AlphaTauri ficou pistolaço: estava numa volta muito rápida quando o companheiro bateu e depois não conseguiu pegar pista limpa. Acontece. Coisas de Mônaco.

Veio o Q2. Pérez insinuou atrapalhar a vida da Ferrari, mas Leclerc mais uma vez mostrou que estava no comando.

perz1 - Clive Rose/Getty Images/Red Bull - Clive Rose/Getty Images/Red Bull
O mexicano Sergio Pérez, da Red Bull, nas ruas do circuito de Mônaco neste sábado
Imagem: Clive Rose/Getty Images/Red Bull

O monegasco voou na pista e fez 1min11s864, 0s090 mais veloz que o mexicano da Red Bull. Sainz e Verstappen vieram a seguir. Norris, Ocon, Hamilton, Vettel, Russell e Alonso completaram o top 10.

Tsunoda, Bottas, Magnussen, Ricciardo e Schumacher dançaram.

Então chegou a hora da decisão, o Q3.

Na primeira série de voltas lançadas, Leclerc não deu chances para ninguém. Foi o mais rápido nos três setores da pista e chegou a 1min11s376, um tempo espetacular. Sainz ficou a 0s225.

Quando faltava menos de 1 minuto para o fim, Pérez escorregou na entrada do túnel e ficou atravessado. Sainz, que vinha muito rápido, também escorregou. Ambos bateram. Bandeira vermelha e fim de classificação!

natia - Reprodução/Fórmula 1 - Reprodução/Fórmula 1
Batida de Sergio Pérez e Carlos Sainz na reta final do treino classificatório do GP de Mônaco
Imagem: Reprodução/Fórmula 1

O resultado atesta que a Ferrari segue tendo o carro mais rápido e equilibrado da F1, mesmo num circuito travado como o do principado. Mas há duas preocupações no horizonte.

O primeiro, o desempenho melhor da Red Bull em ritmo de corrida neste início de campeonato. Em Barcelona, a Ferrari até ensaiou uma recuperação, mas Leclerc ficou pelo caminho com problemas em dois componentes da unidade de potência: turbo e MGU-H _sistema de recuperação de energia. Neste domingo, a escuderia italiana terá nova chance de comprovar que melhorou neste aspecto.

A segunda preocupação para Leclerc está nos céus. Para o domingo, a meteorologia prevê 78% de chances de chuva, o que pode tornar a corrida maluca. É tudo o que ele não quer...