PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

FIA define data para concluir investigações sobre o GP de Abu Dhabi

Lewis Hamilton e Max Verstappen se cumprimentam após o GP de Abu Dhabi, há exatamente um mês  - Fórmula 1
Lewis Hamilton e Max Verstappen se cumprimentam após o GP de Abu Dhabi, há exatamente um mês Imagem: Fórmula 1
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

12/01/2022 16h16

A FIA definiu um prazo para a divulgação dos resultados da investigação interna sobre as decisões da direção de prova no GP de Abu Dhabi: 3 de fevereiro.

Nesta quarta-feira, exatamente um mês após a polêmica corrida que decidiu o último Mundial, a entidade máxima do automobilismo finalmente deu detalhes sobre a sindicância anunciada no mês passado e que passou a ter importância fundamental para os fãs de Lewis Hamilton.

Segundo a imprensa inglesa, o heptacampeão mundial, que está sumido há um mês, aguarda o resultado da investigação para resolver se disputará a próxima temporada. Entre as decisões que o inglês espera ver até o dia 3 estão as demissões de Michael Masi, diretor de provas, e de Nikolas Tombazis, diretor técnico da FIA para campeonatos de monopostos.

Os cortes fariam parte de um acordo costurado entre Mercedes e Jean Todt, então presidente da entidade, no mês passado. Em troca das duas cabeças, a equipe alemã teria retirado a intenção de recorrer do resultado do GP de Abu Dhabi. Agora, é a vez de a FIA começar a agir.

A largada foi dada na segunda-feira, em Genebra. Sucessor de Todt, Mohammed Ben Sulayem apontou Peter Bayer, secretário-geral de esportes a motor, para comandar o processo.

Nas próximas semanas, todos os envolvidos naquelas voltas finais do GP de Abu Dhabi devem ser ouvidos: chefes de equipe, pilotos, comissários e, claro, Masi. A ideia é terminar os trabalhos logo para que as conclusões sejam apresentadas na próxima reunião do Conselho Mundial da FIA, no dia 3.

Os indícios das últimas semanas levam a crer que tudo isso não passará de uma formalidade. Ou, como queiram, de um grande teatro.

sula - Twitter/Mohammed Ben Sulayem  - Twitter/Mohammed Ben Sulayem
Ben Sulayem na abertura do Rali Dacar
Imagem: Twitter/Mohammed Ben Sulayem

Tudo o que Ben Sulayem não quer é que o início do seu mandato seja manchado por uma deserção raivosa de um dos maiores nomes da história do esporte. Em suma: Masi e Tombazis devem dançar, é questão de (pouco) tempo.

Coincidência ou não, os nomes dos dois foram retirados do novo organograma da FIA, divulgado no início do mês. O que leva a outro cenário: independentemente do resultado da sindicância, a chegada de um novo presidente cria condições políticas para mudanças. É o que acontece em qualquer empresa ou entidade esportiva quando um novo chefe chega.

Com Ben Sulayem, assumiram também novos vice-presidentes. Na área de esportes da FIA, saiu o inglês Graham Stoker, assumiu o escocês Robert Reid. É natural que ele queira montar sua própria equipe de trabalho.

O Mundial só começa no dia 20 de março, no Bahrein, mas antes disso haverá duas baterias de testes pré-temporada.

A primeira acontece de 23 a 25 de fevereiro, em Barcelona. A segunda, de 10 a 12 de março, com as equipes já em solo barenita.