PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ainda sumido, Hamilton ignora mensagens do novo presidente da FIA

Mohammed Ben Sulayem, presidente da FIA, na cerimônia de abertura da edição 2022 do Rali Dacar  - Twitter/Mohammed Ben Sulayem
Mohammed Ben Sulayem, presidente da FIA, na cerimônia de abertura da edição 2022 do Rali Dacar Imagem: Twitter/Mohammed Ben Sulayem
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

03/01/2022 12h19

O sumiço de Hamilton desde Abu Dhabi ganhou novo capítulo neste início de ano. Recém-empossado presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem revelou que o inglês não respondeu as mensagens que ele enviou nos últimos dias.

"Mandei algumas mensagens. Acho que ele ainda não está 100% pronto. Não o culpo. Sendo um piloto, obviamente de outro nível, entendo sua posição", disse o emirático, ex-piloto de rali, campeão de categorias no Oriente Médio.

Frequentador assíduo nas redes sociais, Hamilton não posta nada desde 11 de dezembro, o sábado de Abu Dhabi. Não foi à festa de premiação da FIA, em Paris, no dia 16, decepcionando Ben Sulayem. E fez apenas duas aparições públicas desde então, ambas irrecusáveis: para ser nomeado "Cavaleiro do Império Britânico" pelo príncipe Charles e para agradecer companheiros de equipe no evento de fim de temporada da Mercedes.

Seu silêncio foi a senha para que começassem os rumores sobre sua aposentadoria do esporte, blablablá em que já disse não acredito.

Hamilton tem contrato com a Mercedes até o fim do ano que vem e é um sujeito obcecado por desafios. Não por coincidência, a Mercedes publicou no domingo um post na mesma linha. Sob uma foto do heptacampeão, escreveu: "Adversidades fazem alguns quebrar, mas levam outros a quebrar recordes".

Embora tenha sido ignorado, Ben Sulayem também duvida da saída do inglês da F1, como disse em entrevistas na Arábia Saudita, onde participou da cerimônia de abertura da edição 2022 do Rali Dacar.

"Não acredito. Vou fazer outra pergunta: ele declarou em algum momento que iria sair? Não. Exatamente. Quando você é um piloto, você assume as decisões, não deixa que os rumores falem delas por você. Estou confiante", afirmou o dirigente.

"Lewis é parte importante do esporte a motor e, obviamente da F1. Vem aí uma nova era do esporte, que pode adicionar mais vitórias e conquistas para ele. E ainda há o Verstappen... Estou confiante de que teremos um campeonato desafiador em 2022", completou.

A melhor explicação para a atitude de Hamilton, até agora, veio do seu irmão, Nicolas. Segundo ele, o primogênito está apenas dando um tempo do "ambiente muito tóxico" das redes sociais.

hamiltontatoo - Instagram/Lewis Hamilton - Instagram/Lewis Hamilton
A frase "Still I Rise" tatuada nas costas de Hamilton
Imagem: Instagram/Lewis Hamilton

Logo ele reaparece, agradece as mensagens dos fãs, diz que estava se preparando mentalmente para mais uma batalha e evoca mais uma vez o "Still I Rise", frase que carrega no capacete e numa tatuagem nas costas.

Em português, "ainda me levanto" ou "apesar de tudo, me levanto".

É o título de um lindo poema da americana Maya Angelou, ativista do movimento negro, que fala sobre resistência, luta, determinação.

É seu lema de vida. E que não combina nada com a boataria do momento.

Ainda teremos muito de Hamilton pela frente.