PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mercedes quer tirar 2º lugar de Verstappen no Brasil

Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

16/11/2021 14h38

Não, o GP de São Paulo ainda não acabou.

A Mercedes protocolou hoje na FIA "direito de revisão" do incidente envolvendo Verstappen e Hamilton na 48ª volta da corrida de domingo.

É o momento em que os dois duelistas pelo título foram para a área de escape da Curva do Lago, no fim da Reta Oposta.

Segundo colocado desde a 19ª volta do GP, Hamilton vinha pressionando Verstappen, reduzindo a desvantagem volta a volta. Na 48ª, encostou definitivamente e tentou pela primeira vez a ultrapassagem pela liderança, colocando a Mercedes à direita da Red Bull.

O holandês não aliviou, eles quase bateram, foram para a área de escape, e as posições ficaram inalteradas. Hamilton reclamou pelo rádio, a FIA abriu investigação, Mercedes e Red Bull apresentaram seus argumentos.

Minutos depois, os comissários decidiram que nenhuma ação seria tomada.

Levou 11 voltas até que Hamilton tentasse novamente uma ultrapassagem, desta vez bem-sucedida, exatamente no mesmo ponto do circuito.

A história teria terminado aí. Mas um vídeo divulgado nesta terça-feira pela FIA, e que está reproduzido abaixo, mudou muitas opiniões _inclusive a minha_ e provocou a ira da equipe alemã.

As imagens mostram Verstappen olhando no retrovisor enquanto percorre a Reta Oposta. Fica claro que ele percebe Hamilton ao seu lado. Mesmo assim, mantém o volante em linha reta. Quando esterça, vai no limite da parte de fora da curva — tanto que também perde a tangência.

Em um comunicado nas redes, a Mercedes invocou "novas evidências" para pedir uma revisão do caso com base no Código Esportivo Internacional da FIA.

No momento em que analisaram o incidente na corrida, os comissários só tinham à disposição as imagens que foram para a transmissão. No caso, da câmera onboard na traseira da Red Bull.

"Não tivemos acesso a essas imagens. Vamos dar uma olhada assim que as recebermos", disse o diretor de corridas da FIA, Michael Masi, ainda no Brasil.

O objetivo final da Mercedes é tirar o segundo lugar de Verstappen no GP. Se o holandês tiver 10 segundos adicionados ao seu tempo final de prova, por exemplo, cairá para terceiro lugar.

Hoje a vantagem de Verstappen sobre Hamilton é de 14 pontos. No cenário acima, cairia para 11.

O artigo 14.1.1 do Código Esportivo Internacional estabelece que o caso deve ser analisado pelos mesmos comissários que atuaram em Interlagos. Entre eles, um brasileiro, o ex-piloto Roberto Moreno. A FIA ainda não informou se vai reabrir a investigação.

A Mercedes está mordida desde a punição a Hamilton por irregularidade na asa traseira, no sábado. Na opinião deste blogueiro, tem agora a razão ao seu lado: Verstappen claramente viu Hamilton e o forçou para fora da pista.

A FIA vai querer mexer nesse vespeiro na reta final do campeonato?

Acho que não. Acredito que o resultado de Interlagos será mantido. Mas Verstappen que se cuide nas próximas etapas...

zhou - Twitter - Twitter
Guanyu Zhou, que correrá na Alfa Romeo em 2022
Imagem: Twitter

Não é a única notícia do dia na F-1. A Alfa Romeo anunciou a chegada de Guanyu Zhou para a vaga que nesta temporada é de Antonio Giovinazzi.

Aos 22 anos, Zhou é o atual vice-líder da F-2 e será o primeiro chinês a correr na F-1. Neste ano, chegou a participar do primeiro treino livre para o GP da Áustria, com a Alpine.

Ele será parceiro de Valtteri Bottas, que substituirá Kimi Raikkonen, aposentado ao fim da temporada. Esse anúncio fecha o grid da a próxima temporada. Não há mais assentos disponíveis.

Giovinazzi não ficou sem emprego: vai correr na Fórmula E, pela equipe Dragon Penske, como companheiro do brasileiro Sérgio Sette Câmara.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado no texto, se Max Verstappen receber uma punição de 10 segundos, ele terminará o GP de São Paulo na 3ª posição, e não em 4º. O erro foi corrigido.