PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Sochi premia quem assume riscos: Norris é pole

Lando Norris comemora sua pole position no GP da Rússia, a primeira de sua carreira na F-1  - McLaren
Lando Norris comemora sua pole position no GP da Rússia, a primeira de sua carreira na F-1 Imagem: McLaren
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

25/09/2021 10h17

A F-1 tem dias surpreendentes. Este sábado foi um deles.

Tudo indicava um dia de glória para a Mercedes, com dobradinha no grid e uma chance de ouro de recuperar as lideranças dos Mundiais de Pilotos e Construtores no domingo.

Em cinco minutos, o cenário mudou. A pista de Sochi secou, os pilotos correram para trocar pneus e quem primeiro assumiu os riscos se deu melhor.

Pole position para Lando Norris, da McLaren. É a primeira de sua carreira e a primeira da equipe desde o GP Brasil de 2012 _na ocasião, com Lewis Hamilton.

Aos 21, Norris torna-se o quinto piloto mais jovem a conquistar uma pole position na F-1. Está atrás apenas de Vettel, Leclerc, Alonso e Verstappen _todos contemporâneos, o que vale uma reflexão.

norrispole  - Fórmula 1 - Fórmula 1
Lando Norris concede entrevista após a classificação
Imagem: Fórmula 1

"Sou um menino feliz", resumiu o inglês, ao fim da sessão, ainda incrédulo.

"O que você conversou com o engenheiro?", perguntou o ex-piloto Johnny Herbert, entrevistador da F-1 neste fim de semana. "Não lembro", respondeu, com toda a sinceridade.

Mas as surpresas não pararam por aí. Carlos Sainz, da Ferrari, sai na segunda posição. George Russell, da Williams, larga em terceiro.

Hamilton, que viu a pole escorrer pelos dedos nos últimos instantes, é apenas o quarto colocado no grid.

Foi a conclusão emocionante de uma classificação em boa parte modorrenta e que esteve sob risco por boa parte do dia.

Sochi amanheceu com chuva forte, rajadas de vento, trovoadas.

Corridas de F-2 e F3 foram canceladas, assim como o terceiro treino livre da F-1. Diretor de provas da FIA, Michael Masi chegou a cogitar definir o grid apenas no domingo de manhã.

Mas o clima ajudou e aconteceu o oposto do que a F-1 amargou em Spa: faltando 30 minutos para o início da sessão, o céu abriu, o sol apareceu, a pista secou bastante.

Mesmo assim, a classificação começou com todos calçando pneus intermediários e com alguma dificuldade para se segurar na pista. Que o diga Giovinazzi, que rodou na curva 16, quase levando Leclerc com ele. Pérez foi outro que escapou de traseira.

Para Verstappen, a brincadeira durou pouco. Com a punição pela troca de motor jogando-o para o fundo do grid, ele saiu apenas para uma volta protocolar e retornou aos boxes _como a pista estava molhada, o regulamento não exige volta cronometrada.

maxsochi - Fórmula 1 - Fórmula 1
Max Verstappen em ação na sessão classificatória para o GP da Rússia
Imagem: Fórmula 1

"Tudo está bem com o carro. Andar mais na classificação seria correr o risco de um acidente", disse o holandês à repórter Mariana Becker, na Band.

O mais rápido no Q1 foi Hamilton, com 1min45s992, 0s404 melhor do que Bottas. Pérez, Vettel e Norris vieram logo atrás. Os cortados foram Raikkonen, Schumacher, Giovinazzi, Mazepin e, claro, Verstappen.

O Q2 aconteceu com a pista mais seca, mas com todo mundo ainda usando os intermediários.

Desta vez, pelo exato mesmo motivo, Leclerc e Latifi repetiram a postura de Verstappen e não marcaram tempo. Além deles, foram cortados Vettel, Gasly e Tsunoda.

O mais veloz, novamente, foi Hamilton: 1min45s129. Bottas ficou a 0s177. Alonso, vejam só, cravou o terceiro tempo. Avançaram, ainda, Norris, Pérez, Ocon, Stroll, Ricciardo, Russell e Sainz.

Veio então o Q3. Na primeira série de voltas, Hamilton mandou 1min45s129 e assegurou a ponta.

Faltando pouco mais de 5 minutos para o fim, Russell então resolveu trazer algum agito à sessão: colocou pneus para pista seca para ver no que dava. Norris, Ricciardo e Sainz logo entraram nos boxes e fizeram o mesmo. Minutos depois, todos estavam com os compostos de banda vermelha.

Foi quando tudo começou a dar errado para Hamilton.

lewissochi - Mercedes - Mercedes
Lewis Hamilton no cockpit da Mercedes durante a classificação em Sochi
Imagem: Mercedes

O heptacampeão escorregou na entrada do pit lane, deu um totó com o bico no muro, precisou trocá-lo. Isso foi crucial. O tempo perdido permitiu que ele desse apenas uma volta lançada. Não teve como aquecer os pneus. Na luta desesperada para manter a pole, ainda escapou de traseira.

"Daria para lutar pela pole. A equipe me chamou no limite do tempo, mas daria. Peço desculpas", explicou, resignado.

Norris, Sainz e Russell, que tomaram antes a decisão pelos slicks, foram impecáveis e se colocaram à sua frente. Sochi, neste sábado, premiou quem se arriscou primeiro.

Na corrida, Hamilton terá mais trabalho do que imaginava. Verstappen sai na última fila. E há previsão de chuva.

O domingo também pode guardar surpresas...

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL