PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mercedes faz 1ª fila e abre chance para jogo de equipe no sábado

O finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, nesta sexta-feira, em Monza - Mercedes
O finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, nesta sexta-feira, em Monza Imagem: Mercedes
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

10/09/2021 14h18

Não conta como pole position, não vale para as estatísticas.

Mas a Mercedes deixou a classificação desta sexta-feira, em Monza, com um gosto de vitória, com um sopro de esperança.

A equipe alemã emplacou dobradinha na primeira fila para a "corrida sprint" de 18 voltas no sábado: Bottas sai em primeiro lugar, com Hamilton em segundo.

Novamente líder do campeonato após a vitória na Holanda, no último domingo, Verstappen larga na terceira posição.

"Sabíamos que aqui seria difícil. A gente ainda conseguiu uma boa recuperação. Espero que o ritmo seja melhor na corrida", disse o holandês.

A dobradinha abre para a Mercedes a possibilidade de jogo de equipe no sábado. "Todo ponto conta", declarou Hamilton, ao deixar o carro.

Em Monza, Bottas está usando seu quarto motor do ano. Ou seja, largará no fim do grid no domingo. Estranho será se ele não abrir passagem para Hamilton no sábado.

Vencedor, segundo e terceiro colocados na "classificação sprint" levam, respectivamente, 3, 2 e 1 pontos no Mundial.

A sexta-feira em Monza foi toda da Mercedes. Pela manhã, Hamilton deu um banho em todo mundo. Com pneus médios, meteu 0s452 em Verstappen, com os macios.

A classificação começou com 26°C no ar, 33°C no asfalto, e uma grande expectativa para entender se a Red Bull havia blefado na sessão anterior.

Não, não havia. Verstappen continuou sofrendo para acompanhar o ritmo da Mercedes. Isso para não falar do Pérez, cada vez mais apagado, cada vez mais distante do companheiro.

Hamilton foi o mais rápido no Q1, com 1min20s543, 0s142 melhor do que Bottas. Norris foi o terceiro. Verstappen ficou em quarto, a 0s492. Pérez foi apenas o nono colocado.

Os cortados foram Latifi, Tsunoda, Schumacher, Kubica e Mazepin.

coelho - Reprodução/F1TV - Reprodução/F1TV
Coelho atravessa a pista de Monza na frente de Nicholas Latifi durante a classificação desta sexta-feira
Imagem: Reprodução/F1TV

O canadense da Williams, aliás, foi o responsável pelo grande momento de emoção do primeiro bloco da classificação, quando precisou virar o volante para a direita para desviar de um coelho que atravessou a pista...

O domínio da Mercedes se repetiu no Q2. Hamilton cravou 1min19s936, com Bottas a 0s096. Novamente Norris e Verstappen ficaram na sequência. Avançaram, ainda, Ricciardo, Gasly, Giovinazzi, Sainz, Leclerc e Pérez.

Vettel, Stroll, Alonso, Ocon e Russell ficaram pelo caminho...

Veio então o Q3. Nas primeiras saídas à pista, Hamilton fez 1min19s949 e Bottas errou. No momento decisivo, porém, o finlandês fez uma volta limpa, registrou 1min19s555 e superou todo mundo.

Ao lado de Verstappen, na segunda fila, larga Norris. A terceira fila tem Ricciardo e Gasly. Sainz, Leclerc, Pérez e Giovinazzi fecham o top 10.

Posições de largada definidas, segue no ar a dúvida do fim de semana: Hamilton e Verstappen vão trocar motor e pagar punição no grid de domingo?

As situações dos duelistas pelo título são bem diferentes.

hammonza - Jennifer Lorenzini/Reuters - Jennifer Lorenzini/Reuters
Hamilton, nesta sexta-feira, em Monza
Imagem: Jennifer Lorenzini/Reuters

No caso de Hamilton, seria pura estratégia. Ele ainda tem duas unidades de potência em condições de uso. A ideia de lançar mão de um quarto motor em Monza foi cogitada por Wolff após o primeiro treino. Seria uma "poupança" para a fase mais aguda do campeonato: cumprir punição agora para não correr o risco de deixar para depois.

O caso de Verstappen é de necessidade mesmo. Ele já está no último dos três motores permitidos pelo regulamento. Ir para o quarto motor em Monza pode minimizar o prejuízo de largar no fundo do grid: é um circuito com boas oportunidades de recuperar posições.

O que acontece no momento é puro jogo de marcação: uma equipe está esperando que a outra faça o movimento primeiro.

O fim de semana em Monza será tão movimentado nos bastidores como dentro da pista.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL