PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Verstappen vence "Pequeno Prêmio da Inglaterra" e é pole

Max Verstappen à frente de Lewis Hamilton e Bottas na classificação sprint do GP de Silverstone de Fórmula 1 em 2021 - Michael Regan/Getty Images
Max Verstappen à frente de Lewis Hamilton e Bottas na classificação sprint do GP de Silverstone de Fórmula 1 em 2021 Imagem: Michael Regan/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

17/07/2021 13h07

O formato mudou, o pole continua o mesmo.

Líder do Mundial, Verstappen venceu neste sábado a minicorrida, a "classificação sprint" ou, como bem definiu um internauta, o primeiro Pequeno Prêmio da Inglaterra.

Conquistou assim três pontos a mais no campeonato e sua oitava pole na carreira, a quinta na temporada, a quarta consecutiva. Desde o GP da França, em 20 de junho, ele domina a ponta do grid da F-1.

Hamilton, que largou na frente hoje, terminou em segundo. Bottas foi o terceiro colocado.

Foi a primeira vez que a F-1 testou este formato, uma mudança na programação que tem por objetivo tornar os finais de semana mais empolgantes. Pode não ter sido o show de ultrapassagens que os dirigentes esperavam, mas foi melhor que o modelo dos últimos anos, com sextas-feiras insossas seguidas de burocráticos Q1, Q2 e Q3 nos sábados.

Foi, ainda, um balde de água no chope dos ingleses que explodiram as arquibancadas na sexta, com o melhor tempo de Hamilton.

Neste sábado, o sonho de uma nova festa da torcida durou, segundo minha cronometragem amadora, 2 segundos. Assim que as luzes vermelhas apagaram, Verstappen pulou na frente e contornou a primeira curva na liderança.

O inglês até tentou dar o troco na abertura da segunda volta, mas não teve carro para isso: recolheu e assim ficou. Sainz e Russell se enroscaram e se tornaram alvo de investigação da FIA. Podem perder posições no grid, vale ficar de olho.

Na terceira volta, Verstappen já tinha 0s8 sobre o rival. Bottas, que passou Leclerc, era o terceiro, seguido pelo monegasco. Na sequência, o melhor piloto do dia: Alonso, que largou em 11º. O espanhol está cada vez mais à vontade, cada vez melhor...

Na quinta volta, o grande susto da corrida: Pérez rodou na Chapel, foi pra área de escape e arrasou sua posição no grid. Quase que simultaneamente, Alonso, que havia ziguezagueado na frente de Norris, resolveu não esperar uma punição da FIA e cedeu a posição para o inglês.

Na nona volta, Ricciardo passou Alonso. O espanhol respirou fundo, partiu para o contra-ataque, mas seus pneus macios já começavam a abrir o bico _além dele, apenas Bottas, Ocon e Raikkonen fizeram essa aposta, contra os pneus médios dos outros 16.

Sem chance de fazer nada e correndo o risco de desgastar o carro, Pérez foi orientado pela equipe a abandonar. Largará em último.

Verstappen cruzou a linha de chegada com 1s4 de vantagem, mas porque tirou o pé no final: durante a prova, chegou a abrir 3 segundos.

A segunda fila do grid terá Bottas e Leclerc. Depois, Norris e Ricciardo. Completando o top 10, Alonso, Vettel, Russell e Ocon.

"É estranho estar aqui hoje, mas muito bom também. Eu larguei bem, tive uma boa briga com o Lewis naquele começo, mas depois meus pneus criarem muitas bolhas e precisei prestar atenção nisso", disse Verstappen, que inaugurou uma nova cerimônia na F-1: uma espécie de "pódio móvel" num caminhão que deu uma volta no circuito.

Hamilton não era sombra do piloto empolgado de sexta, que até alambrado escalou. "Amanhã vamos tentar de novo, mas eles estão muito fortes. Eu fiz o possível, mas ele continuava abrindo vantagem. Estamos perdendo contato com eles, e isso nunca é bom."

Levou um choque de realidade. Qualquer que seja o formato de treinos e corridas, a verdade na F-1 hoje é clara: a Red Bull continua sobrando.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL