PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

FIA lança filme para badalar Fórmula E

O holandês Nyck de Vries comemora vitória na abertura da temporada 2020/2021 da Fórmula E, em Diriyah, na Arábia Saudita - Andy Hone/Fórmula E - LAT Images
O holandês Nyck de Vries comemora vitória na abertura da temporada 2020/2021 da Fórmula E, em Diriyah, na Arábia Saudita Imagem: Andy Hone/Fórmula E - LAT Images
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

08/04/2021 04h00

O sucesso de "Drive To Survive" despertou a FIA. Na esteira dos resultados alcançados pela série da Netflix, a entidade máxima do automobilismo usará novamente a fórmula do audiovisual para tentar dar um impulso de popularidade ao campeonato que é sua menina dos olhos: a Fórmula E.

Nesta quinta-feira (8), às vésperas da segunda rodada dupla da temporada, em Roma, a FIA lança o filme "Fórmula E: Como o sonho elétrico da FIA tornou-se um Campeonato Mundial".

O mote é a elevação de status da Fórmula E. A partir deste ano, a categoria tornou-se um dos cinco únicos campeonatos sancionados pela FIA a receber o selo de Mundial. Os outros são os Mundiais de Endurance, Rali, Ralicross e, claro, a F-1.

O roteiro é conhecido por quem acompanha a Fórmula E: começa num restaurante em Paris, onde dois homens rabiscaram num guardanapo os conceitos e pilares de uma categoria de monopostos elétricos.

Foi há exatos dez anos, em 2011. Um deles é Jean Todt, histórico ex-dirigente da Peugeot e da Ferrari, presidente da FIA desde 2009. O outro é Alejandro Agag, empresário espanhol com fortes conexões no esporte —por exemplo, foi sócio de Bernie Ecclestone e Flavio Briatore no grupo que comprou o Queens Park Rangers, em 2007.

No trailer divulgado nos últimos dias e que está logo abaixo, Todt e Agag, claro, têm posição de destaque.

"Eu digo sempre que sou o fundador da Fórmula E. Mas o verdadeiro fundador é Jean Todt. A ideia foi dele. Eu só disse que adoraria promover o campeonato", diz o espanhol. "O mundo está mudando rapidamente, e identificamos que era importante criar uma categoria de automobilismo que fosse verde e que encorajasse as pessoas das cidades a usar carros elétricos. A Fórmula E é a resposta", conta o francês.

Do jantar à primeira corrida, foram 3 anos e meio. E, de lá pra cá, 7 temporadas, 71 provas em metrópoles como Londres, Nova Iorque e Pequim, e cinco campeões diferentes —entre eles, dois brasileiros, Nelsinho Piquet (2014/15) e Lucas di Grassi (2016/17).

O trailer também traz muitas imagens de ação: acidentes espetaculares, disputas de posição, ultrapassagens... Há ainda muitas cenas de torcedores vibrando nas arquibancadas, um cenário que não se repete desde a etapa de Marrakesh, em fevereiro do ano passado.

A última temporada só foi concluída porque a categoria criou uma espécie de bolha em Berlim, em agosto, e realizou 6 provas num intervalo de apenas 8 dias. Neste ano, cumpre um estrito protocolo de segurança, mas, por via das dúvidas, só anunciou o calendário de provas até o início de junho, deixando todo o segundo semestre em aberto.

O filme estará disponível a partir de hoje nas plataformas digitais da FIA. Tem 26 minutos de duração e foi produzido pela Whisper Films, premiada por trabalhos na NFL e na F-1 e que tem como sócio-fundador alguém com muita experiência no automobilismo: David Coulthard, 246 GPs nas costas por Williams, McLaren e Red Bull.

Segue um aperitivo do que vem por aí...