PUBLICIDADE
Topo

Diogo Silva

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ao completar 14 anos, Rayssa Leal pode se tornar legalmente profissional

Rayssa Leal - Gabriel Bianchini/Nike
Rayssa Leal Imagem: Gabriel Bianchini/Nike
Conteúdo exclusivo para assinantes
Diogo Silva

Diogo Silva foi campeão mundial universitário, medalhista de ouro dos Jogos Pan-Americanos e participou dos Jogos Olímpicos de Atenas-2004 e Londres-2012 no taekwondo. Hoje, faz parte do grupo de rap Senzala Hi-Tech.

Do UOL, em São Paulo

05/01/2022 16h31

A skatista vice-campeã olímpica Rayssa Leal, carinhosamente chamada de Fadinha, completou 14 anos na última terça-feira (4) e agora pode se tornar profissional da modalidade - legalmente falando.

Rayssa perdeu a janela de profissionalização que fechou em dezembro de 2021, e, agora, ao completar 14 anos, pode iniciar o processo.

Na legislação brasileira, a idade mínima para ser um profissional é 16 anos. A Lei Pelé, que norteia as regras trabalhistas no esporte nacional, é baseada no futebol e muitas vezes não atende às demais modalidades esportivas.

Aos atletas de 14 anos, a lei permite a assinatura de um contrato de formação, com o pagamento de um auxílio para manutenção da sua carreira.

Agora dá para imaginar um fenômeno como a Rayssa, com 6,7 milhões de seguidores nas redes sociais e que foi convidada para apresentar o lançamento do filme da Space Jam, recebendo um auxílio?

A Fadinha é tão fora da curva que nem mesmo a bolsa atleta podium, a maior premiação pública ao esporte, que gira entre R$ 5 e R$ 15 mil mensais, ela podia ter antes dos 14 anos.

Agora cá entre nós, para quem fez tanto sucesso em 2021, os planos da skatista para 2022 são outros.

Diferentemente do futebol, no skate, um atleta profissional é aquele que tem um patrocinador que financia sua carreira. Rayssa tem ao menos oito patrocinadores pessoais. Somado às marcas de fornecimento de material esportivo, esse número chega a 12.

Embora ainda não seja profissional de acordo com as leis brasileiras, a Fadinha já tem contrato com a Monster Energy (energético), Odonto Company, MRV, Banco do Brasil, Brasil prev Junior e Nescau. Além disso, a Nike, HBO, Yes e a joelharia Hstern também estão no jogo.

A última temporada foi tão boa que Rayssa doou R$ 250 mil ao Instituto Skate Social Club, que foca na modalidade para promover educação a jovens na periferia de São Paulo.

Além disso, neste ano a Fadinha vai estrear na série de comedia romântica da Disney+ "Tá tudo certo" alcançando novos públicos para se apaixonarem por skate.

Entre patrocínios, publicidade e premiações a maranhense de Imperatriz está no céu.