PUBLICIDADE
Topo

Diogo Silva

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Atletas olímpicos trazem 12 mil doses de vacinas para o Brasil

Anúncio da parceria entre COI e governo foi feito em coletiva de imprensa - Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Anúncio da parceria entre COI e governo foi feito em coletiva de imprensa Imagem: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Conteúdo exclusivo para assinantes
Diogo Silva

Diogo Silva foi campeão mundial universitário, medalhista de ouro dos Jogos Pan-Americanos e participou dos Jogos Olímpicos de Atenas-2004 e Londres-2012 no taekwondo. Hoje, faz parte do grupo de rap Senzala Hi-Tech.

12/05/2021 04h00

Os atletas olímpicos, paraolímpicos, militares e comissão técnica que vão participar dos jogos olímpicos de Tóquio começam a ser vacinados a partr de hoje.

A decisão acontece depois do imbróglio gerado pelo anúncio de que seriam vacinados somente os atletas militares, mesmo eles sendo apenas 50% do grupo olímpico. Desgaste desnecessário.

Depois de muita articulação entre o COB (Comitê Olímpico Brasileiro), o CPB (Comitê Paralimpico Brasileiro) e governo, foram incluídos atletas olímpicos e paralímpicos

O COI (Comitê Olímpico Internacional), em parceria com a Pfizer e a Sinovac, da China, disponibilizou de forma gratuita a vacinação de atletas e comissão que vão para Tóquio.

Serão imunizados 1.814 entre esportistas e integrantes comissão técnico. Além disso, serão doadas mais de 12 mil doses para o SUS, sendo 4.500 da Pfizer e 8.000 da Coronavac.

Sendo o maior país da América do Sul, o Brasil não poderia deixar de vacinar seus atletas, como já fizeram, seguindo os protocolos internacionais, 16 países, entre eles Estados Unidos, Canada, Israel, Servia, Hungria, México, Itália, Reino Unido e China.

Até o mês de julho, quando encerra a classificação olímpica, o Brasil poderá alcançar até 280 atletas classificados — hoje 220 alcançaram o índice.

A parceria entre o governo e o COI foi anunciada em uma coletiva de imprensa, que contou com as presenças de Marcelo Queiroga, ministro da Saúde; major-brigadeiro Isaias Carvalho, diretor do Departamento Esportivo Militar, subordinada ao Ministério da Defesa; o general de Brigada do Exército, Marcos Antônio; Marcelo Magalhaes, secretário-especial de Esporte, pasta vinculada ao Ministério da Cidadania; Marco Antônio La Porta, vice-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro; e Bruno Sousa, secretário de Esporte de Alto Rendimento.

As cidades onde serão distribuídas as vacinas para os atletas a partir de hoje são: Fortaleza, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, além de Porto Alegre e do Distrito Federal, a partir de 17 de maio.

Jogos Olímpicos

O COI está tomando todas as medidas cabíveis para que os Jogos Olímpicos de Tóquio possam ser o mais seguro possível. Esta será a edição olímpica mais complexa dos últimos tempos.

O Japão anunciou que, além de fazer a testagem diária dos atletas, adotará o confinamento, colocando as delegações em bolhas.

Não temos informações de como está a vacinação, por exemplo, no Quênia, que conquistou muitas medalhas de ouro no atletismo, e no Irã, que se destaca no taekwondo. Também são poucos dados sobre a imunização de atletas que competem como refugiados. O que sabemos é que o COI não irá impedir a participação de esportistas que não se vacinaram e não adotaram quarentena e testagem diária.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL