PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Santos é condenado a pagar R$ 3 milhões a auxiliar de Sampaoli

Pablo Fernández trabalhou como preparador físico no Santos em 2019 - Ivan Storti/Santos FC
Pablo Fernández trabalhou como preparador físico no Santos em 2019 Imagem: Ivan Storti/Santos FC
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

07/07/2022 04h00

O Santos foi condenado pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) a pagar mais de R$ 3 milhões a Pablo Fernández, um dos auxiliares do técnico Jorge Sampaoli quando o argentino treinou o Peixe, em 2019.

A decisão foi publicada nesta semana pela Secretaria da 3ª Turma do TST e é uma grande derrota para os cofres do time alvinegro, que não passa por bom momento financeiro.

O ministro relator José Pimenta determinou que a rescisão indireta do contrato de trabalho de Fernández seja reconhecida, condenando o Santos a pagar aviso prévio indenizado, férias proporcionais, 13º e multas da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e do (FGTS Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

O processo foi aberto em 2019 por Fernández e tinha o valor original de R$ 1,6 milhão. Com os juros e correções, a quantia atualizada ultrapassa a marca dos R$ 3 milhões.

Ele exercia a função de preparador físico da equipe profissional do time alvinegro e ainda supervisionava os trabalhos da equipe de fisiologia e fisioterapia. O profissional recebia R$ 150 mil mensais.

Sampaoli treinou o Santos por apenas uma temporada e não conquistou títulos, mas teve campanha de destaque no Campeonato Brasileiro, ficando na segunda colocação. O treinador também briga com o clube na Justiça.

O Santos foi procurado para comentar as informações da coluna, mas não quis se manifestar.