PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Galo: Justiça nega recurso para impedir bloqueio de venda de jogadores

Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Thiago Braga, colaboração para o UOL

28/01/2022 12h02

A Justiça rejeitou um recurso do Atlético-MG para impedir o bloqueio de eventuais futuras vendas dos laterais Arana e Guga e do volante Allan, por causa de uma dívida do clube com o megaempresário André Cury que, atualmente, supera a casa dos R$ 52 milhões.

A decisão, do relator Jair de Souza, da 10ª Câmara de Direito Privado, foi publicada nesta quinta-feira (25), em ação que corre no Tribunal de Justiça de São Paulo. Ele rejeitou um pedido de efeito suspensivo interposto pelo time de Belo Horizonte.

  • De segunda a sexta, às 17h, o Canal UOL traz, ao vivo, as últimas informações do mercado da bola. Inscreva-se no YouTube de UOL Esporte e confira também as lives dos clubes, Posse de Bola e UOL News Esporte:

O Atlético-MG tentou uma medida liminar em um agravo de instrumento contra a decisão que ordenou a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e a FMF (Federação Mineira de Futebol) a bloquearem o registro federativo dos atletas.

Para o Galo, o bloqueio impede a transferência dos atletas a outros clubes, mantendo-os vinculados, ainda que a eventual contragosto, aos quadros do Atlético. O relator não viu dessa forma e não enxergou perigo de dano ou risco ao processo.

A decisão que bloqueou as vendas foi publicada no dia 11 pelo juiz Carlos Goldman, da 39ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo. O magistrado já havia, anteriormente, determinado a penhora do prêmio pelo título do Campeonato Brasileiro.

A restrição das vendas será pela contratação do atacante Franco Di Santo, na casa de R$ 1,4 milhão, mas o clube possui dívidas com o agente que já ultrapassam a casa dos R$ 52 milhões.

Os bloqueios só ocorrem se um dos atletas for vendido, de forma a satisfazer a dívida com Cury. O pedido foi feito pelas advogadas Adriana Cury e Fernanda Saade, porque o Galo está negociando os direitos econômicos dos atletas.

O Atlético-MG foi procurado para comentar o processo, mas não respondeu até a publicação. A matéria será atualizada caso o clube queira se manifestar.