PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Palmeirenses são condenados a 24 anos de prisão por matarem corintiano

Criminosos eram membros da torcida organizada Mancha Verde - Reprodução/Instagram
Criminosos eram membros da torcida organizada Mancha Verde Imagem: Reprodução/Instagram
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

27/01/2022 10h22

Quatro palmeirenses foram condenados a 24 anos de prisão por espancarem e matarem um torcedor corintiano com barras de ferro, após um clássico entre as duas equipes. O crime aconteceu em 2016, em Itapevi, na Grande São Paulo.

Daniel Candido da Silva, Jefferson Paulo da Silva, José Alex Sandro da Silva Júnior e Wesley Ramos Dantas Lopes são membros da torcida organizada Mancha Verde e foram denunciados pelo Ministério Público no mesmo ano do crime.

A vítima, por sua vez, tinha 22 anos, fazia parte da torcida Gaviões da Fiel e estava acompanhada de sua namorada, testemunha do fato. Os criminosos cercaram o casal a bordo de um carro depois de um jogo entre Corinthians e Palmeiras. A mulher conseguiu deixar o local.

O processo, ao qual a coluna teve acesso, diz que os quatro condenados - em companhia de um quinto, Kaio Barbosa, que ainda será julgado - passaram a se revezar nos golpes desferidos contra a vítima, especialmente na região da cabeça, armados com barras de ferro.

A denúncia diz que o crime foi cometido por motivo fútil - a rivalidade entre membros de torcidas adversárias -, e utilizando-se de meio cruel, causando intenso e desnecessário sofrimento e ainda dificultando a defesa da vítima, que foi pega de surpresa.

A sentença foi publicada nesta quarta-feira (26), no Tribunal de Justiça de São Paulo, comarca de Itapevi. Algumas testemunhas foram ouvidas em interrogatórios e as partes de manifestaram com alegações finais.

Na época, o crime gerou comoção e protestos nas redes sociais, principalmente entre torcedores do Corinthians.