PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Caio Ribeiro entra em acordo com Bradesco e encerra briga de R$ 3,4 milhões

Caio Ribeiro (Foto/ Reprodução Instagram) - Reprodução / Internet
Caio Ribeiro (Foto/ Reprodução Instagram) Imagem: Reprodução / Internet
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

com Thiago Braga, colaboração para o UOL

27/10/2021 04h00

O ex-jogador Caio Ribeiro entrou em acordo com o Bradesco e encerrou uma briga judicial de R$ 3,4 milhões.

Para encerrar a cobrança, segundo os termos do acordo, houve a consolidação da propriedade de um imóvel em favor do banco. A lei da alienação fiduciária prevê que, em caso de inadimplência, a propriedade do imóvel se consolida com o credor e a dívida é extinta.

O apartamento era dado como garantia fiduciária e, de acordo com o que os advogados de Caio informaram na ação, vale R$ 4,5 milhões.

Dessa forma, o Bradesco pediu à Justiça de São Paulo que se encerrasse o processo, com cada parte arcando com seus próprios honorários advocatícios.

O juiz Eduardo Moeller, então, determinou extinta a execução, já que a dívida foi considerada integralmente paga com o imóvel.

Marcos Fontes, advogado de Caio Ribeiro, confirmou que o processo foi encerrado, mas afirmou que não iria comentar. O Bradesco não respondeu.

A dívida havia sido adquirida por concessão de crédito feita em abril de 2018 no valor de R$ 3 milhões.

O financiamento feito pelo comentarista previa o pagamento em 360 meses (30 anos), iniciados em maio de 2018.

Segundo o Bradesco, porém, Caio enfrentou dificuldades financeiras no ano seguinte, fazendo a renegociação da dívida.

Mesmo assim, o banco alegou que o comentarista continuou sem pagar as prestações, e foi à Justiça.

Caio Ribeiro jogou profissionalmente por São Paulo, Santos, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Botafogo, Inter de Milão, Napoli e Rot-Weiss Oberhausen.

Também defendeu a seleção brasileira principal e de base. É comentarista da Globo desde 2007.