PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Justiça suspende ordem para Corinthians pagar R$ 1 milhão por Romero

Ángel Romero treina no CT do Corinthians em fevereiro de 2019 - Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Ángel Romero treina no CT do Corinthians em fevereiro de 2019 Imagem: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

26/10/2021 14h00

A Justiça de São Paulo suspendeu um mandado de pagamento que determinava ao Corinthians a quitação de uma dívida de mais de R$ 1 milhão com o empresário Regis Marques pela exploração da imagem do atacante Angel Romero.

A decisão foi publicada nesta semana pela juíza Marian Najjar Abdo, da 42ª Vara Cível, e suspendeu a eficácia de uma sentença anterior que dava ao clube 15 dias para desembolsar os valores pedidos pelo agente.

A suspensão do pagamento ocorre após o Corinthians entrar com recurso contestando a cobrança. Agora, a discussão vai continuar no tribunal até que ocorra um julgamento em primeira instância, o que ainda não tem data para acontecer.

O clube entende que existe um excesso nos valores pedidos, pois os juros foram calculados desde 2015, quando deveriam, na visão do time alvinegro, serem cobrados a partir de 2019, data que o Corinthians deixou de pagar as parcelas devidas ao ex-jogador.

A equipe do Parque São Jorge ainda afirmou à Justiça que tem interesse de realizar uma audiência de conciliação com o empresário, que ainda não respondeu ao Judiciário se tem interesse na mediação, mas deve apresentar contestação assim que notificado.

O contrato inicial previa que a empresa de Regis Marques receberia R$ 2,5 milhões, divididos em quatro parcelas de R$ 622.550,00 pela "exploração comercial dos direitos da personalidade" do jogador paraguaio, que defendeu o Corinthians entre 2014 e 2019.

Porém, após o Corinthians não pagar a totalidade do valor combinado, em 2017 foi feito um acordo de parcelamento da dívida, que estava em R$ 1,950 milhão e seria quitada em 30 parcelas de R$ 65 mil. No entanto, o clube não pagou os últimos nove pagamentos e foi acionado na Justiça.