PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Para Del Nero, Caboclo está com "delírios de loucura e embriagado de vinho"

Marco Polo del Nero, presidente da CBF em 2015 - Marcelo Sayão/EFE
Marco Polo del Nero, presidente da CBF em 2015 Imagem: Marcelo Sayão/EFE
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

18/09/2021 04h00

Ex-presidente da CBF banido por corrupção, Marco Polo Del Nero se irritou com as novas declarações de Rogério Caboclo, que nesta sexta-feira (17) voltou a culpar o cartola por seu afastamento.

Em contato com a coluna após a publicação da resposta de Caboclo ao recurso da funcionária que o acusa de assédio, Del Nero afirmou que o presidente afastado está tendo "delírios de loucura" e ironizou os excessos do adversário.

"Antes, ele estava embriagado pelo poder e pelo Cartuxa [vinho português, o favorito de Caboclo]. Agora, sem poder, e em delírios de loucura, parece continuar embriagado e precisa se tratar, pois existem outras vítimas, conforme notícias publicadas pela mídia, com as quais precisa ajustar as contas na polícia e no poder judiciário", disse Del Nero.

O ex-presidente lembrou que não apareceu apenas uma acusação de assédio contra Caboclo e acrescentou que o presidente afastado usa sua influência para sair impune das denúncias.

"Será que o senhor Caboclo ainda não aprendeu com o que fez? Ele abusa de uma mulher inocente e frágil, usa o poder para tentar não pagar pelos seus atos e, depois de tudo, de pagar ração de animal para escapar de processo, ainda tenta colocar a culpa em mim?", disse Del Nero.

Nesta sexta (17), a funcionária que acusa Caboclo de assédio na Comissão de Ética da CBF apresentou recurso para aumentar a pena do dirigente, suspenso por 15 meses por "comportamentos inadequados".

Após a atitude da mulher, Caboclo afirmou que se trata de uma "sórdida estratégia de utilizar a Comissão de Ética para lhe criar entraves e mantê-lo afastado da presidência da entidade".

O presidente afastado voltou a culpar Del Nero pelo ocorrido.

"Não é de hoje que é sabida a estratégia de Marco Polo Del Nero, ex-presidente da CBF banido do futebol, para manter Rogério Caboclo afastado do cargo, utilizando-se da Comissão de Ética sobre a qual, comenta-se nos bastidores da entidade, alardeia aos quatro ventos ter domínio", disse Caboclo.