PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Humilhado, Corinthians virou piada e saco de pancada do Flamengo

Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

01/08/2021 17h53

O Corinthians de Sylvinho é uma das piores coisas que já vi na vida. Foi amassado pelo Flamengo no primeiro tempo dentro de sua própria casa. O jogo foi para o intervalo 3 a 0 para o time rubro-negro e foi pouco. Era para estar pelo menos 5.

Algo impensável há alguns anos, quando o Corinthians vivia boa fase, hoje virou saco de pancadas do atual Flamengo. São sete derrotas e um empate nos últimos oito jogos. Sofreu 20 gols. Levou três goleadas (3 a 0, 4 a 1 e 5 a 1). Só não levou hoje porque o Fla tirou o pé no segundo tempo. E Vitinho fez o gol de honra.

O pior de tudo é que o Flamengo atropelou o Corinthians sem se esforçar. Parecia treino de um time profissional contra um catadão de final de semana. Os números do massacre de hoje são chocantes. O Fla finalizou 10 vezes nos primeiros 40 minutos. O Timão? Nenhuma. Os cariocas tiveram 4 escanteios a favor. Os paulistas? Zero. A posse ficou em 65% a 35%.

Gabriel virou armador no Corinthians de Sylvinho. Com sete minutos, tentou, de esquerda (!), armar bola inexplicável no campo de ataque. Já estava 1 a 0 para o Flamengo, que tinha perdido outra chance. Cantillo, o melhor passador de bola, virou primeiro volante.

A insistência com Roni também encontra poucas explicações razoáveis. Não adianta ter Giuliano, Renato Augusto e Roger Guedes. Podem trazer até o Messi. É capaz que Sylvinho deixe o argentino no banco para o Gabriel jogar.

No intervalo, por um milagre, sacou o volante de campo. E Roni. Adiantou Cantillo. Será que finalmente o técnico viu o que todos estão vendo? Mas não demorou muito para aprontar da suas. Com 10 minutos, tirou o colombiano para Araos jogar. Mateus Vital entrou só aos 40 do segundo tempo... O time melhorou, diminuiu e deu até bola na trave.

"Ah, mas o Flamengo ganhou de 5 do São Paulo, de 6 do ABC, de 5 do Bahia, de 4 do Defensa y Justicia". É verdade. O clube rubro-negro é muito superior que todos. E ainda trouxe o melhor técnico do Brasil. Não muda o fato de que o Corinthians não ganha de ninguém.

As quatro vitórias do Corinthians no Brasileirão são contra clubes que estão da 15ª colocação pra baixo na tabela da Série A: Cuiabá (15º), Sport (17º), América-MG (18º) e Chapecoense (20º). Contra os cinco primeiros colocados, perdeu quatro (Flamengo, Fortaleza, Bragantino e Atlético-MG) e empatou com o Palmeiras.

São 21 jogos contra clubes grandes em 2021 e só duas vitórias. Duas! E nove derrotas. Com 25% de aproveitamento, o Corinthians seria rebaixado em qualquer edição do Campeonato Brasileiro. Com Sylvinho, são sete jogos diante de grandes. Não venceu nenhuma vez.

Em Itaquera, o aproveitamento do treinador é ainda pior. São 23% dos pontos conquistados, que o credenciam à pior média da história do estádio. A segunda é de Vagner Mancini, com 54%. Em outros tempos, técnico nenhum sobreviveria a número tão pífio como mandante.

Sylvinho era um ótimo lateral, parece boa gente, estudioso e entende muito de bola. Só que como treinador está deixando demais a desejar. Nunca pensei que diria isso, mas parece que até Mancini deixou saudades. O Corinthians virou motivo de piada...

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL