PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Rivais na final, Messi tem média superior a Neymar em gols contra potências

Messi e Neymar, antes de jogo do Barcelona, em foto de 2017 - Don EMMERT / AFP
Messi e Neymar, antes de jogo do Barcelona, em foto de 2017 Imagem: Don EMMERT / AFP
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

07/07/2021 04h00

Rivais em uma final representando seus países pela primeira vez, com a classificação de Brasil e Argentina à decisão da Copa América, Neymar e Messi possuem trajetórias distintas por suas respectivas seleções. E o argentino tem melhor média de gols contra os grandes do futebol mundial do que o brasileiro.

Em 31 partidas diante de algum dos campeões mundiais — Brasil, Alemanha, Itália, França, Inglaterra, Uruguai e Espanha — mais a Holanda, que chegou a três finais de Copa, Messi marcou 14 gols, uma média de 0,45 por jogo em duelos do tipo.

É semelhante à sua média de gols pela seleção argentina (0,5 pelos 76 marcados em 150 partidas) e destoa do que acontece com Neymar.

Contra os mesmos rivais, além da própria Argentina, o camisa 10 brasileiro fez apenas 9 gols em 24 jogos, média de 0,37, bem inferior aos 0,62 por jogo que tem o atacante nos números gerais pelo Brasil — são 68 gols em 110 duelos.

A média geral do camisa 10 brasileiro sobe porque ele tem bastante gols em jogos contra equipes menores. Contra asiáticos, por exemplo, são 13 gols em 9 partidas (1,44 por duelo). Diante de rivais da América Central e do Norte, mais 11 em 15 partidas (média de 0,73) e outros 6 em 9 confrontos contra africanos ou times da Oceania (0,66).

Neymar está próximo de bater o recorde de maior artilheiro da seleção brasileira. Está a apenas nove de Pelé e já superou Ronaldo e Romário. Todos eles, por outro lado, possuem média de gols bem superiores que o camisa 10 atual em confrontos diante das potências.

Messi já é o maior artilheiro de sua seleção e está a um da marca de Pelé em partidas oficiais pelo Brasil.

O argentino já fez quatro nesta Copa América e é o artilheiro da competição. Também deu cinco assistências e virou candidato ao posto de melhor jogador do torneio. Neymar, por sua vez, anotou dois para o Brasil, com mais três passes para gols de companheiros.

O encontro de sábado será o sexto entre Neymar e Messi como adversários. Por Brasil e Argentina, são duas vitórias para cada lado. Mas o camisa 10 do Barcelona leva vantagem pela vitória na decisão do Mundial de Clubes de 2010, quando o brasileiro defendia o Santos.

A final da Copa América está marcada para a noite de sábado, 21h, no Maracanã.

Números da dupla por suas seleções

Messi contra os grandes: 14 gols em 31 jogos (média de 0,45)
Neymar contra os grandes: 9 gols em 24 jogos (média de 0,37)

Messi contra o Brasil: 5 gols em 11 jogos (média de 0,45 por jogo)
Neymar contra a Argentina: 3 gols em 10 jogos (média de 0,3 por jogo)

Messi no total: 76 gols em 150 jogos (média de 0,5)
Neymar no total: 68 gols em 110 jogos (média de 0,62)