Topo
REPORTAGEM

Como Libra viu a união de 26 clubes para debater mudanças na liga

Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, ao lado de Sérgio Coelho, presidente do Atlético-MG, em reunião sobre a liga Imagem: Marina Garcia/Fluminense FC
Danilo Lavieri

Colunista do UOL

17/05/2022 12h37Atualizada em 17/05/2022 14h59

Vinte e seis clubes de Série A e Série B oficializaram ontem (16) que estão unidos e representados por duas empresas para negociar com a Libra. O movimento foi visto com otimismo pelos outros dez times e entendido como uma forma de facilitar a conversa, deixando claro quem vai falar pelo grupo.

A ideia é que a LiveMode e a Alvarez & Marsal percebam que a diferença não é tão grande quanto propagam os clubes como Fluminense, Fortaleza e Athletico. Como já mostrou o blog do Rodrigo Mattos, o modelo proposto por Flamengo, Corinthians e companhia é bem parecido com o que é feito na LaLiga.

Essas duas empresas já tentaram criar a liga no futebol brasileiro, não tiveram sucesso e agora representam América-MG, Atlético-MG, Fluminense, Fortaleza, Internacional, Chapecoense, Atlético-GO, Avaí, Brusque, Ceará, CSA, Athletico, CRB, Náutico, Coritiba, Criciúma, Cuiabá, Juventude, Goiás, Novorizontino, Londrina, Operário, Sampaio Corrêa, Sport, Tombense e Vila Nova.

Além disso, a esperança é que a entrada de duas empresas tire da conversa a parte política. Há a interpretação que alguns líderes dos clubes que ainda não entraram na Libra ficaram insatisfeitos com a atitude dos clubes que assinaram o estatuto na reunião do último dia 3 de maio. Eles apostavam que o encontro seria apenas para debater ideias e não para assinar um documento e desde então estão insatisfeitos.

Também há resistência por alguns pelo fato de a Libra ter como empresa representante a Codajas, de Flávio Zveiter, que chegou a discutir com Petraglia no último encontro entre eles. O presidente do Athletico é um dos maiores oposicionistas.

A Libra já tem 10 clubes (Flamengo, Red Bull Bragantino, Palmeiras, Santos, São Paulo, Ponte Preta, Corinthians, Cruzeiro, Vasco e Botafogo), e em breve terá o Grêmio, que soltou nota hoje indicando a intenção de se juntar a eles. Do outro lado, estão os outros 26 unidos em bloco, além de Ituano, Guarani e Bahia que não tomaram posição.

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter, no Instagram e no TikTok

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Como Libra viu a união de 26 clubes para debater mudanças na liga - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL