PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Seleção vai à Inglaterra para ver Vini e Jesus inspirados, mas Militão mal

Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

26/04/2022 17h53

O show de bola entre Manchester City e Real Madrid hoje (26) pela semifinal da Liga dos Campeões foi presenciado de perto por Matheus Bacchi e Cléber Xavier. Os dois auxiliares de Tite foram assistir ao jogo in loco e deixam o estádio com observações importantes na vitória dos ingleses por 4 a 3.

Gabriel Jesus foi o que mais chamou atenção no começo da partida. Não só pelo gol, mas também por atuar em diferentes funções do ataque quando o City precisava. Majoritariamente centralizado, o atacante também abriu pela direita para dar espaço aos seus companheiros e construir jogadas e até pela esquerda, onde chegou a quase deixar Éder Militão no chão.

Nitidamente confiante depois de ter feito quatro gols no fim de semana, ele ainda sofreu outras faltas e foi importante para ajudar no primeiro abafa quando o time de Guardiola perdia a bola. Fora da última convocação por estar voltando de lesão e não estar em 100% da sua capacidade física, ele deixa um recado a Tite que quer muito uma vaga no Qatar, apesar do jejum de gols na seleção.

Como já estamos acostumados a ver, o técnico costuma ter carinho por quem já foi importante para ele em algum momento desses anos de seleção brasileira. E Jesus foi figura fundamental na recuperação do time nas Eliminatórias tão logo Tite assumiu o cargo.

Quando o Real Madrid parecia assustado com a pressão do City, Vinicius Junior fez em uma jogada o que poucos no mundo conseguem fazer atualmente. Com um drible de corpo, deixou Fernandinho sem saber onde estava a bola e depois disparou em velocidade impressionante para diminuir o placar. Não foi a melhor partida do brasileiro recentemente, assim como de seu companheiro Rodrygo, mas foi importante para mostrar como a revelação flamenguista consegue aparecer em jogos com este peso e com uma característica que pode ser decisiva em jogos apertados.

Quem não teve uma apresentação tão inspirada foi Éder Militão. Além de ter sofrido com Gabriel Jesus, também teve muita dificuldade para marcar Mahrez. Chegou até a mostrar insegurança em alguns lances, coisa que não é comum do zagueiro. Até pela concorrência, no entanto, é bem provável que a atuação ruim seja algo isolado na avaliação final que vai decidir quem vai para a Copa.

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter, no Instagram e no TikTok