PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Lavieri: Pênalti para o Flamengo é do tipo que cria teorias da conspiração

O árbitro Vinicius Araújo em jogo do Flamengo e Bahia - Thiago Ribeiro/AGIF
O árbitro Vinicius Araújo em jogo do Flamengo e Bahia Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

11/11/2021 20h10

O pênalti marcado por Vinicius Gonçalves Dias Araújo hoje (11) para o Flamengo é daqueles que dão brecha para os que gostam de uma teoria da conspiração. Diego deu bicicleta e acertou o peito de Conti. A decisão errada a olho nu do juiz paulista se justificaria pela velocidade do lance, mas é simplesmente impossível entender como ele manteve a decisão depois de rever a jogada no VAR.

Ninguém entendeu. Nem a Central do Apito, do Premiere, nem os jogadores do Bahia e até mesmo os torcedores flamenguistas. A imagem não dá margem para dúvida. É muito claro que a bola bateu no peito do jogador.

E aí é questão de segundos para as teorias da conspiração. Depois de ser bastante prejudicado pela arbitragem contra a Chapecoense, o Flamengo esbravejou, ameaçou processar os juízes e pediu a troca de arbitragem para hoje. Ontem (10), a CBF decidiu atender ao pedido do rubro-negro e pouco mais de 24 horas ele estava confirmando esse pênalti inacreditável.

Antes de ser prejudicado contra a Chapecoense, o Flamengo também já havia reclamado bastante da arbitragem contra o Athletico. E quando o juiz marca um lance absurdo como o de hoje contra o Bahia, é inevitável que torcedores falem em compensação.

Mas aí tem o outro lado. A CBF reconheceu que no confronto dos baianos contra o São Paulo, o juiz errou ao não dar pênalti de Miranda. Guto Ferreira ficou enlouquecido à beira do campo e esbravejava: terceiro jogo que o VAR chama e o árbitro decide contra a gente. Na luta contra o rebaixamento, um gol como esse pode ser decisivo na trajetória da equipe de Salvador. É justamente a pedra cantada por Guilherme Bellintani, presidente do Bahia.

Como já mostraram o UOL e o GE, o chefe da arbitragem na CBF, Leonardo Gaciba, está na berlinda. Sua postura à frente do departamento tem incomodado os dirigentes da entidade que não param de pensar na troca do comando. Com mais um erro absurdo como esse, é provável que o ex-árbitro fique ainda mais próximo da saída.

Não que isso seja a solução para a péssima arbitragem do Brasil. Trocar o nome e manter a estrutura serve apenas "para inglês ver". Mas é provável que a CBF repita seus clubes filiados e demita o chefe para acalmar a torcida.

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter e no Instagram