PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Inter é 1º a ter lucro em Brasileiro com público, e Maracanã vira pesadelo

Jogadores do Inter comemoram com a torcida um dos gols contra o América-MG - Ricardo Duarte/Inter
Jogadores do Inter comemoram com a torcida um dos gols contra o América-MG Imagem: Ricardo Duarte/Inter
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

19/10/2021 04h00

O Internacional conseguiu ser o primeiro time a ficar no azul no quesito bilheteria. Depois de longo período sem poder abrir os portões, os clubes voltaram a vender ingressos no início do mês, mas poucos já conseguem transformar isso em receita. Chama a atenção, inclusive, que o prejuízo de Flamengo e Fluminense, que jogam no Maracanã, só aumentou.

Ainda sem contar a rodada do último fim de semana porque nem todos os borderôs já foram enviados à CBF, o Nacional agora tem o Colorado como o único a estar no positivo: R$ 28.601,20. A equipe gaúcha enfrentou o América-MG e a Chapecoense ao lado de sua torcida e fez R$ 609.642,53 com bilhetes no total, o que já é suficiente para compensar o prejuízo acumulado de outras 10 partidas.

"Ainda não colocamos capacidade máxima no estádio, mas com o ambiente seguro que estamos proporcionando o número de presentes vem aumentando e com isso a nossa arrecadação. Depois de 580 dias separados do torcedor, esse encontro significa muito, tanto no apoio e incentivo ao time quanto nos cofres colorados", afirmou ao blog o vice de administração do Inter, Victor Grunberg.

Atlético-MG, Corinthians, Cuiabá, Grêmio, Palmeiras e São Paulo já viram dinheiro entrar nas rodadas que fizeram como mandante. Eles conseguiram fazer mais receita com a venda de bilhetes do que o total de despesas como mandante, mas ainda ficam devendo quando os números levam em conta todas as partidas do Brasileiro deste ano.

Já América-MG, Athletico, Atlético-GO, Bahia, Ceará, Chapecoense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Red Bull Bragantino, Santos e Juventude continuam tendo mais gastos do que receitas mesmo com a venda de ingressos. O caso dos dois cariocas é o que chama mais a atenção.

O Fluminense, por exemplo, teve prejuízo de mais de R$ 610 mil na partida contra o Fortaleza. No total, o time está devendo mais de R$ 2,5 milhões. E a conta ainda não tem os números da partida contra o Atlético-GO, porque o borderô ainda não foi enviado à CBF. Com renda de menos de R$ 100 mil, é provável que o Tricolor perca mais R$ 600 mil nessa partida, o que faria seu prejuízo ultrapassar a casa dos R$ 3 milhões.

Outro a mandar seus jogos no Maracanã, o Flamengo também aumenta seu prejuízo. Depois de perder mais de R$ 260 mil contra o Athletico, o time precisou desembolsar quase R$ 320 mil diante do Sport. O jogo contra o Cuiabá ainda não foi contabilizado. O prejuízo só não é maior porque os dois atuaram em algumas ocasiões em lugares mais baratos como Volta Redonda ou até mesmo a Neo Química Arena, em São Paulo.

Os gastos aumentam para os dois porque eles precisam passar a pagar taxas que antes não existiam ou eram menores, como repasse à Ferj, aluguel do campo, despesas operacionais, contas do dia da partida, seguranças e impostos. Antes desse novo cenário, a média de gastos de ambos os times no Maracanã era de R$ 200 mil por jogo. Ao menos para o Flamengo, há o consolo das receitas com bilhetes vendidos na Libertadores para diminuir o impacto.

O levantamento do blog não leva em conta as partidas do Sport como mandante porque a equipe de Recife não envia os dados completos à CBF. A entidade nacional afirma que não tem controle sobre o tema, apesar de isso ir contra o Estatuto do Torcedor.

Confira o ranking completo do Brasileirão:

  1. Internacional: + R$ 28.601,20
  2. Cuiabá: - R$ 233.484,60
  3. Corinthians: - R$ 237.576,74
  4. Grêmio: - R$ 355.741,06
  5. Atlético-GO: - R$ 465.390,06
  6. Chapecoense: - R$ 512.086,36
  7. Athletico: - R$ 527.630,06
  8. Juventude: - R$ 527.668,11
  9. São Paulo: - R$ 606.198,81
  10. Atlético-MG: - R$ 612.004,01
  11. Fortaleza: - R$ 640.435,39
  12. Ceará: - R$ 651.953,80
  13. Red Bull: - R$ 668.241,43
  14. América-MG: - R$ 672.521,52
  15. Palmeiras: - R$ 756.618,98
  16. Santos: - R$ 820.840,57
  17. Bahia: - R$ 1.044.325,59
  18. Flamengo: - R$ 2.443.438,31
  19. Fluminense: - R$ 2.528.874,77

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter e no Instagram