PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Tite quebrará silêncio da seleção após vinda de Copa América ao Brasil

Tite durante treino da seleção brasileira - Lucas Figueiredo/CBF
Tite durante treino da seleção brasileira Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

02/06/2021 14h19

A seleção terá Tite como o primeiro a se pronunciar após a confirmação da Copa América no Brasil. Amanhã (3), o treinador quebrará o silêncio adotado pela equipe por conta do regulamento das Eliminatórias da Copa do Mundo, que obriga o treinador a conceder entrevista na véspera de uma partida. O Brasil enfrenta o Equador na sexta-feira, às 21h30, em Porto Alegre.

Desde a notícia da mudança da sede, a decisão tomada pela seleção foi de não colocar mais os atletas para concederem entrevistas coletivas. O objetivo da comissão é que os atletas consigam manter o foco nas duas partidas que podem aumentar a liderança do Brasil na disputa por uma vaga no Qatar. Além do confronto com os equatorianos, a agenda reserva o duelo contra o Paraguai para terça-feira.

O regulamento permite que a coletiva de imprensa da seleção de quinta-feira tenha também a presença de mais um atleta ou até mesmo de Juninho Paulista, que hoje é coordenador de seleções da CBF.

Além da questão da Copa América no Brasil, também há em curso outras polêmicas que agitam os bastidores da seleção brasileira. A Nike, que é patrocinadora da equipe, disse recentemente que não renovou o seu contrato com Neymar por conta de uma investigação de abuso sexual por parte do atleta em 2019 - o jogador nega veementemente.

Depois dessa notícia, os atletas da seleção chegaram a conceder coletiva, mas nenhum dirigente se manifestou sobre o tema, como aconteceu agora com a confirmação da Copa América no Brasil. O camisa 10 também já havia virado assunto e conturbou o ambiente da seleção em Teresópolis em 2019, na preparação para a mesma competição. Na ocasião, ele foi acusado de estupro, em caso que foi arquivado meses depois.

Além disso, também existe a crise política que coloca o presidente da CBF, Rogério Caboclo, como protagonista. O cartola é questionado pelo seu comportamento e por algumas atitudes internas e vê seu cargo virar alvo de conspiração. Na esteira desta crise, ainda há áudios que foram gravados e revelados pela ESPN onde a continuidade da comissão técnica de Tite chegou a ser colocada em questão em um papo entre Caboclo e o então coordenador de seleções, Edu Gaspar.

Desde que chegou à CBF, Tite se depara com problemas gerados pela entidade. Além dos citados acima, o comandante é constantemente questionado sobre os problemas do calendário e sobre os desfalques gerados pela seleção por conta das competições que continuam a ser disputados em Data Fifa no Brasil. No passado, ele já mostrou irritação com a questão.