PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Em adeus da Globo, Paulista bate recorde na TV e ganha trunfo em negociação

Reinaldo e Abel Ferreira conversam durante duelo entre São Paulo e Palmeiras, pela final do Paulista, no Morumbi - Marcello Zambrana/AGIF
Reinaldo e Abel Ferreira conversam durante duelo entre São Paulo e Palmeiras, pela final do Paulista, no Morumbi Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

24/05/2021 12h26

A final do Campeonato Paulista transmitida ontem (23) pela Globo bateu todos os recordes de eventos esportivos na televisão em 2021. Os dados consolidados divulgados hoje colocam o jogo entre Palmeiras e São Paulo como o mais assistido da temporada, superando até mesmo a Libertadores e a Copa do Brasil.

A partida no Morumbi atingiu pico de 36 pontos e média de 32 pontos, superando, inclusive, as finais da Libertadores e da Copa do Brasil. Até então, a final entre Palmeiras e Grêmio, era a dona da marca com 26 pontos de audiência. A semifinal do Estadual, entre Palmeiras e Corinthians, já tinha chegado perto.

O recorde é batido justamente no adeus do Paulistão da Globo nos atuais moldes de transmissão. A emissora tinha contrato para exibir a competição até esta temporada e, agora, renegocia os direitos com a Federação Paulista de Futebol, que tem a empresa Livemode como representante.

A Globo tem retirado seus investimentos nos estaduais, mas vive situação diferente na análise do Paulista. A marca registrada ontem coloca, pelo quarto ano consecutivo, o Paulistão como o campeonato com a maior audiência registrada em TV aberta. Desde 2018, nenhum outro campeonato alcançou audiência maior que o Estadual de São Paulo.

A ideia da Federação na negociação atual é que não haja exclusividade com nenhuma emissora. O projeto é que os direitos sejam fatiados, e a própria entidade também tenha mais controle da produção, com a chance de distribuir o conteúdo em uma plataforma própria.