PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Atrás de atacante ou grana, Palmeiras não deveria emprestar Borja de novo

Borja foi artilheiro do último Campeonato Colombiano pelo Junior - Divulgação
Borja foi artilheiro do último Campeonato Colombiano pelo Junior Imagem: Divulgação
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

13/05/2021 11h02

O Palmeiras segue no mercado em busca de um atacante para acabar com a carência no elenco apontada por de Abel Ferreira. Depois de tomar um não do NY City por Taty Castellanos, a equipe mantém a carência apontada pelo treinador e tem dificuldades para encontrar um nome que se encaixa no perfil econômico permitido para contratações. E enquanto isso... Borja bate recordes e mais recordes no Júnior Barranquilla.

Ontem ele fez mais um gol e criou outras boas oportunidades contra o River Plate e aumentou a sua vantagem como maior goleador somando as últimas dez edições de Libertadores. Ele também é o artilheiro da atual edição. No total, são 14 gols em 21 jogos em 2021. Outros 21 gols marcados em 37 jogos em 2020. Não é pouca coisa.

É verdade que no Alviverde ele não correspondeu às expectativas geradas por sua contratação. O maior investimento da história do Palmeiras, aeroporto lotado para a sua recepção, a expectativa de ver um time ganhando tudo e ainda dando show. Mas será mesmo que ele não merece mais uma chance agora? Ainda mais com Abel Ferreira, que recuperou tantos outros atletas que já eram dados como perdidos no Palestra Itália?

O colombiano tem contrato de empréstimo até o fim de junho, quando o time paulista terá que definir o que fazer. Como precisa de dinheiro, se receber uma boa proposta para compra definitiva e que possa recuperar boa parte dos US$ 10 milhões investidos à época, faria sentido a diretoria aceitar para receber uma boa grana, o que é mais do que necessário no Palestra Itália, ainda mais com a cada vez mais provável volta de Dudu.

Mas se nenhuma proposta consideravelmente boa chegar à mesa, não faz sentido o Palmeiras emprestar o jogador mais uma vez apenas para se livrar de seu salário. Borja mostrou que vive de confiança no Junior Barranquilla e, caso retorne ao Brasil, precisa ter a experiência de ser treinado por Abel Ferreira para ver se corresponde, ainda que com atraso, à expectativa gerada pela sua chegada.

Em outras condições, com o elenco recheado de opções ou com garotos promissores na função, faria sentido manter Borja emprestado mais uma vez. Mas esse definitivamente não é o caso do Palmeiras neste momento, e Abel já deixou isso claro mais de uma vez.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL