PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Rony e Athletico serão só multados após recurso em Tribunal na Suíça

Rony, atacante do Palmeiras, durante treinamento - Cesar Greco
Rony, atacante do Palmeiras, durante treinamento Imagem: Cesar Greco
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

25/03/2021 13h58Atualizada em 25/03/2021 15h11

Rony e Athletico se livraram das punições mais duras após o recurso no TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), que tem sede na Suíça, e foram condenados apenas a uma multa que ainda terá o valor final decidido. A decisão foi divulgada hoje (25) após as sessões virtuais feitas na quinta e na sexta-feira da semana passada.

A sentença foi bastante comemorada pelo jogador e pelo clube do Paraná porque havia uma enorme apreensão sobre penas mais duras, como suspensão dos gramados para o atleta e proibição de contratar por até duas janelas para o time. Inicialmente, a multa financeira havia sido estipulada em 1,2 milhão de euros no total, mas esse valor será recalculado.

As sessões na semana passada foram uma das maiores da história do Tribunal, envolvendo seis partes e dez mil páginas de documentação. Além do Athletico e do Rony, foram ouvidos Palmeiras, Cruzeiro, Albirex Niigata (Japão) e Fifa.

O atleta foi representado por André Sica, advogado do Palmeiras, em parceria com os também advogados Carlos André e Sérgio Ribeiro. Marcos Motta representou o Athletico.

O atacante chegou a ser suspenso por quatro meses, e o Athletico foi proibido de contratar por duas janelas por conta de uma ação do Albirex Niigata, do Japão, que alega que ele não cumpriu um contrato de compra que já estava amarrado após o período de empréstimo. Por essa quebra, a equipe japonesa cobrava aproximadamente US$ 10 milhões.

Tanto o Athletico quanto o Rony recorreram e conseguiram a reversão dessas decisões iniciais, fato que era considerado bem difícil de acontecer por boa parte dos especialistas.