PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

À espera de propostas, Vasco quer renegociar salário para manter Castan

Leandro Castán e Gabriel Menino disputam bola no jogo Vasco x Palmeiras do Brasileirão 2020 - Thiago Ribeiro/AGIF
Leandro Castán e Gabriel Menino disputam bola no jogo Vasco x Palmeiras do Brasileirão 2020 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

13/03/2021 04h00

Vasco e Leandro Castan ainda têm como prioridade acertar uma transferência, mas as propostas apresentadas até agora não convenceram os dois envolvidos. Por isso, eles fazem uma renegociação de salário para que o atleta possa continuar defendendo a equipe carioca nesta temporada.

Um dos interessados foi o Cruzeiro, mas a sondagem não avançou. O Fluminense chegou a ser colocado como um dos eventuais destinos, mas o negócio também não evoluiu. Outras propostas foram feitas, mas em todas elas pelo menos um dos lados não topou.

Agora, o Vasco conversa com Castan e com seus representantes para que haja uma renegociação de salário. O objetivo do time cruzmaltino é diminuir a sua folha salarial por conta do rebaixamento. As receitas cairão bruscamente e a diretoria tenta readequar os gastos para evitar mais problemas financeiros.

Como já mostrou o UOL Esporte, a equipe do Rio de Janeiro fez até demissões no seu quadro de funcionários e dispensou alguns atletas para que a folha salarial seja reduzida em até R$ 40 milhões.

A questão é que, além da renegociação de salários, o Vasco ainda tem uma dívida com o atleta. Isso dificulta qualquer tipo de acerto para o futuro. Ele tem contrato até o fim de 2022 e não pretende ficar encostado enquanto não houver uma definição para o seu futuro.

*Com a colaboração de Guilherme Piu, de Belo Horizonte